Olga Savary :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Olga Savary

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Olga Augusta Maria Savary nasceu em Belém do Pará, em 21 de maio de 1933. Residiu em sua cidade natal até os três anos de idade. Em 1936 sua família mudou-se para Fortaleza e em 1943, para o Rio de Janeiro, onde mora até hoje. Oriunda de uma família de escritores, tradutores e jornalistas, entre os quais Carlos Drummond de Andrade, Murilo Mendes e Cícero e Lourival Nobre de Almeida, interessou-se desde cedo pela literatura e particularmente pela poesia: aos dez anos de idade já ensaiava seus primeiros poemas; ao longo da vida, desenvolveu as três atividades. Autodidata, iniciou o curso de Letras da UFRJ, que abandonou para casar.

De suas mais de 40 traduções, a maioria é do espanhol e há algumas do inglês, francês e, indiretamente, do holandês, do japonês e do hindi (através do espanhol). Traduziu oito obras de Pablo Neruda e cinco de Octavio Paz, além de outras de autores diversos, sobretudo hispano-americanos. Quinze são de poesia, oito são romances, seis ensaios e o resto inclui novelas, peças teatrais, memórias, contos, entrevistas etc., além de traduções técnicas encomendadas pela Fundação Getúlio Vargas na área de arquitetura e urbanismo. Em 1996 recebeu da União Brasileira de Escritores o Prêmio UBE de Tradução por Vislumbres da Índia, de Octavio Paz. Sua tradução de Conversa na Catedral, de Vargas Llosa, foi premiada pela Academia Brasileira de Letras com o Prêmio Odorico Mendes de Tradução. Recebeu também o Prêmio Jabuti de Tradução da Câmara Brasileira do Livro por Como água para chocolate, de Laura Esquivel.

Como escritora, tem numerosas publicações: doze livros de poesia, três de contos, uma seleção, uma coletânea e um livro de jornalismo literário, entre outros. Organizou três antologias de poesia e participou de inúmeros outros livros coletivos de poesia e contos, no Brasil e no exterior. Tem um livro de poesia traduzido ao holandês e poemas traduzidos ao espanhol, italiano, holandês, alemão, francês e japonês, publicados em antologias diversas.

Verbete publicado em 5 de June de 2005 por:
Pablo Cardellino
Walter Carlos Costa

Excertos de traduções

Poema VI de Ainda. Tradução de Olga Savary.

VI

Perdón si cuando quiero
contar mi vida
es tierra lo que cuento.
Ésta es la tierra.
Crece en tu sangre
y creces.
Si se apaga en tu sangre
tú te apagas.

VI

Perdão se quando quero
contar minha vida
é terra o que conto.
Esta é a terra.
Cresce em teu sangue
e cresces.
Se se apaga em teu sangue
te apagas.

(Neruda, Pablo. "VI". In: Fundación Pablo Neruda: Centenario: Antología Diaria: 7 de octubre. Disponível na internet: www.fundacionneruda.org. Acesso: 03jun2005.)

(Neruda, Pablo. Ainda. [Por: Olga Savary]. 5ª ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1995. p. 19.)

Trecho de Conversa na Catedral, de Mario Vargas Llosa. Tradução de Olga Savary.

-Usted sabe muy bien que por ella -Ambrosio miraba de frente, sin pestañear-. Usted ha podido hacer algo y no ha hecho nada. Usted es su amiga.

- A senhora sabe muito bem que vim por causa dela - Ambrósio olhava de frente, sem pestanejar. - A senhora podia ter feito alguma coisa e não fez nada. A senhora é amiga dela.

-Mira, ya tengo bastantes preocupaciones -dijo Queta-. No quiero hablar de eso, yo vengo aquí a ganar dinero. Anda vete y, sobre todo, no vuelvas. Ni aquí ni a mí departamento.

- Olhe, eu já tenho preocupações que cheguem - disse Queta. - Não quero falar sobre isso, eu venho aqui para ganhar dinheiro. Vá embora, ande, e sobretudo não volte. Nem aqui nem no meu apartamento.

-Usted ha debido hacer algo -repitió la voz empecinada, dura y distinta de Ambrosio-. Por su propio bien.

- A senhora devia ter feito qualquer coisa - repetiu a voz obstinada, dura e indiferente de Ambrósio. - Para seu bem.

-¿Por mi propio bien? -dijo Queta; estaba apoyada de espaldas en la puerta, el cuerpo ligeramente arqueado, las manos en las caderas.

- Para meu bem? - disse Queta; estava apoiada de costas na porta, o corpo ligeiramente arqueado, as mãos nos quadris.

-Por el propio bien de ella, quiero decir -murmuró Ambrosio-. ¿No me dijo que era su amiga, que a pesar de sus locuras le tenía cariño?

- Para bem dela, eu quero dizer - murmurou Ambrósio. - Não me disse que era amiga dela, que apesar de suas loucuras a senhora a estimava?

Queta dio unos pasos, se sentó en la única silla del cuarto frente a él. Cruzó las piernas, lo observó con detenimiento y el resistió su mirada sin bajar los ojos, por primera vez.

Queta deu uns passos, sentou-se na única cadeira do quarto, diante dele. Cruzou as pernas, observou-o detidamente e ele resistiu a seu olhar, sem baixar os olhos, pela primeira vez.

-Te ha mandado Bola de Oro -dijo Queta, despacio-. ¿Por qué no te mandó donde la loca? Yo no tengo nada que ver con esto. Dile a Bola de Oro que a mí no me meta en sus líos. La loca es la loca y yo soy yo.

- Foi o Bola de Ouro quem o mandou aqui - disse Queta devagar. - Por que é que ele não o mandou à casa da louca? Eu não tenho nada a ver com isso. Diga ao Bola de Ouro para não me meter nas sujeiras dele. A louca é a louca e eu sou eu.

-No me ha mandado nadie, él ni siquiera sabe que a usted la conozco -dijo Ambrosio, con suma lentitud, mirándola-. He venido para que hablemos. Como amigos.

- Ninguém me mandou, ele nem sequer sabe que eu a conheço - disse Ambrósio, com extrema lentidão, olhando para ela. - Vim até aqui para termos uma conversa. Como amigos.

-¿Cómo amigos? -dijo Queta-. ¿Quién te ha hecho creer que eres mi amigo?

- Como amigos? - disse Queta. - Quem foi que lhe disse que você era meu amigo?


(p. 642: Vargas Llosa, Mario. Conversación en la catedral. 14ª ed. Barcelona: Seix Barral, 1983.)

(p. 587: Vargas Llosa, Mario. Conversa na catedral. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1978.)

Bibliografia

Traduções Publicadas

Álamo de la Rosa, Víctor. O ano da seca. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1997. (El año de la seca). Romance.

Alegría, Ciro. Grande e estranho é o mundo. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981. (El mundo es ancho y ajeno). Romance.

Arias, Juan. A Bíblia e seus segredos. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004. (La Biblia y sus secretos) Ensaio 286 p.

Arias, Arturo. Itzam Na. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983. (Itzam Na). Romance.

Bashô. Hai-Kais de Bashô. [Por: Olga Savary]. São Paulo: Hucitec, 1989. Poesia.

Bashô. Sendas de Oku. [Por: Olga Savary]. São Paulo: Roswitha Kempf, 1983. (Sendas de Oku). Diário de viagens, Poesia.

Cabezas, Omar. A montanha e algo mais que uma imensa estepe verde. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Codecri, 1983. (La montaña es algo más que una inmensa estepa verde). Memórias.

Cano, Román. Os segredos dos sonhos. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Record, 1985. (Los secretos de los sueños). Ensaio

Castedo, Helena. O paraíso. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994. (El paraíso). Romance.

Cortázar, Julio. Fora de hora. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984. (Deshoras). Contos.

Cortázar, Julio. O livro de Manuel. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984. (El libro de Manuel). Romance.

Esquivel, Laura. Como água para chocolate. [Por: Olga Savary]. São Paulo: Martins Fontes, 1993. (Como agua para chocolate). Prêmio Jabuti para Tradução, da Câmara Brasileira do Livro. Romance.

Fuentes, Carlos. Aura. [Por: Olga Savary]. Porto Alegre: L&PM, 1981. (Aura). Novela.

García Lorca, Federico. Assim que passem cinco anos. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Peça encenada, 1990. (Así que pasen cinco años). Peça teatral.

Guevara, Ernesto Che. Guerrilha! [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Codecri, 1980. Memórias.

Neruda, Pablo. A rosa separada. [Por: Olga Savary]. Porto Alegre: L&PM, 1982. (La rosa separada). Poesia.

Neruda, Pablo. A barcarola. [Por: Olga Savary]. Porto Alegre: L&PM, 1983. (La barcarola). Poesia

Neruda, Pablo. Ainda. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: José Olympio, 1975. (Aún). Poesia.

Neruda, Pablo. Confesso que vivi. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Difel, 1977. (Confieso que he vivido). Memórias.

Neruda, Pablo. Fulgor e morte de Joaquim Murieta. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988. (Fulgor y muerte de Joaquín Murieta). Peça teatral.

Neruda, Pablo. Incitação ao nixonicídio e louvor da revolução chilena. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1980. (Incitación al nixonicidio y alabanza de la revolución chilena). Poesia.

Neruda, Pablo. Livro das perguntas. [Por: Olga Savary]. Porto Alegre: L&PM, 1980. (Libro de las preguntas). Poesia.

Neruda, Pablo. O coração amarelo. [Por: Olga Savary]. Porto Alegre: L&PM, 1982. (El corazón amarillo). Poesia.

Paz, Octavio. 23 poemas de Octavio Paz. [Por: Olga Savary]. São Paulo: Roswitha Kempf, 1983. Poesia.

Paz, Octavio. O arco e a lira. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982. (El arco y la lira). Ensaio.

Paz, Octavio. Os filhos do barro. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984. (Los hijos del limo). Ensaio.

Paz, Octavio. Vislumbres da Índia. [Por: Olga Savary]. São Paulo: Mandarim/Siciliano, 1996. (Vislumbres de la India). Prêmio UBE - União Brasileira de Escritores, RJ - para tradução. Ensaio, Poesia.

Paz, Octavio & Rios, Julián. Solo a duas vozes. [Por: Olga Savary]. São Paulo: Roswitha Kempf, 1987. (Solo a dos voces). Entrevista.

Poetas holandeses. [Por: Olga Savary]. Rotterdam: Poetry International, 1985. (Tradução indireta: Inglês>>português). Poesia.

Rateau, Véronique. O mago das cores. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Peça encenada, 1978. (Le magicien des coulers). Peça de teatro infantil.

Santana, Nahuel. Poemas do Rio. [Por: Olga Savary]. Feira de Santana: Estrada, 1977. (Poemas do Rio). Poesia.

Semprún, Jorge. Autobiografia de Federico Sánchez. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979. (Autobiografia de Federico Sánchez). Romance.

Shawn Keys, Kerry. Quingumbo. Nova poesia norte-americana. [Por: Olga Savary]. São Paulo: Vertente, 1980. Poesia.

Simons, Edison. Mosaicos. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Rio ArteRecord, 1986. (Mosaicos). Poesia.

Svanascini, Osvaldo. O Livro dos Hai-Kais. [Por: Olga Savary]. São Paulo: Massao Ohno / Roswitha Kempf Editores, 1980. (Bashô, Buson, Issa: Tres maestros del haikku). Poesia, Ensaio.

Vargas Llosa, Mario. Conversa na Catedral. [Por: Olga Savary]. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora, 1978. (Conversación en la Catedral). Prêmio Odorico Mendes de Tradução - 1980, da ABL. Romance.

Obra própria

Poesia

Savary, Olga. Espelho provisório. Rio de Janeiro: José Olympio, 1979. Prefácio de Ferreira Gullar. Prêmio Jabuti 1971 da CBL.

Savary, Olga. Sumidouro. São Paulo: Massao Ohno / João Farkas Editores, 1977. Escolhido melhor livro de poesia do ano pelo Jornal do Brasil (RJ). Prêmio de poesia 1977 da APCA - Associação Paulista de Críticos de Arte.

Savary, Olga. Alta onda. Salvador/São Paulo: Macunaíma / Massao Ohno, 1979. Prefácio de Jorge Amado. Prêmio de Poesia Lupe Cotrim Garaude, 1981 da União Brasileira de Escritores.

Savary, Olga. Magma. São Paulo: Massao Ohno / Roswitha Kempf, 1982. Prefácio de Antônio Houaiss. Prêmio Olavo Bilac 1973, da ABL.

Savary, Olga. Hai-Kais. São Paulo: Roswitha Kempf, 1976.

Savary, Olga. Linha-d'água. São Paulo: Massao Ohno / Hipocampo, 1987.

Savary, Olga. Retratos. São Paulo: Massao Ohno, 1979.

Savary, Olga. Rudá. Rio de Janeiro: UERJ, 1994.

Savary, Olga. Eden Hades. São Paulo: Massao Ohno, 1994.

Savary, Olga. Morte de Moema. Rio de Janeiro: Impressões do Brasil, 1996.

Savary, Olga. Anima animalis - Voz de bichos brasileiros. São Paulo: Massao Ohno, 1998. Prefácio de Jorge Vanderlei com tradução para cinco idiomas. NO PRELO.

Contos

Savary, Olga. O olhar dourado do abismo. Rio de Janeiro: Impressões do Brasil, 1997. Prefácio de Dias Gomes.

Savary, Olga. Contos de Paixão e espanto. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

Seleta

Savary, Olga. Natureza Viva: uma seleta dos melhores poemas de Olga Savary. Recife: Edições Pirata, 1982. Prefácio de Ferreira Gullar.

Obra reunida

Savary, Olga. Repertório Selvagem - Obra poética reunida (12 livros de poesia). Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional / Universidade de Mogi das Cruzes / MultiMais Editorial, 1998. Prefácio de Antônio Olinto. Prefácios e críticas dos livros reunidos.

Olga Savary no exterior

Savary, Olga. Avond van de portuguese en braziliaanse poësie: Olga Savary [Por: August Willemsen]. Rotterdam: Poetry International, 1985.

Antologias organizadas

Savary, Olga. Carne viva - I Antologia brasileira de poesia erótica. Rio de Janeiro: Ânima, 1984.

Savary, Olga. Antologia da nova poesia brasileira. Rio de Janeiro: RioArte / Secretaria Municipal de Cultura, PRJ / Hipocampo, 1992.

Participação em livros de Arte

Fundação Cultural Banco do Brasil. Paz. Rio de Janeiro: Fundação Cultural Banco do Brasil / Spala, 1989. 40 poetas e escritores em edição trilíngue: português, inglês e espanhol.

Rocha, Valdir; Gadelha, Raimundo. Intimidades Transvistas. São Paulo: Escrituras, 1997.

Arruda, Eunice. Fui eu. São Paulo: Escrituras, 1998.

Casa Fernando Pessoa; PEN português. Poesia em Lisboa / Poésie à Lisbonne / Poetry in Lisboa. Lisboa: Casa Fernando Pessoa / PEN português, 2000. Edição trilíngue: português, francês e inglês.

Participação em Antologias de poesia editadas no Brasil

Sampaio, Adovaldo Fernandes. Voces femeninas de la poesía brasileña. Goiânia: Oriente, 1979.

Hortas, Maria de Lourdes. Palavras de Mulher. Rio de Janeiro: Fontana, 1979.

Grupo Poeco. Ensaio IV. São Paulo: s.e., 1980.

Kranz, Patrícia; Henriques Neto, Afonso. Te quero verde: Poesia & consciência ecológica. Rio de Janeiro: s.e., 1982.

Coutinho, Edilberto. Presença poética do Recife. Rio de Janeiro: José Olympio / FUNDARPE, 1983.

Alves, L. Henrique. Poetas contemporâneos. São Paulo: Roswitha Kempf, 1985.

Vencedores do 4º Concurso Nacional de Poesia sobre o Vinho. Ave Vinho. Caxias do Sul: Educs / Editora da Universidade de Caxias do Sul, 1989.

Rocha, Helena. Mulheres (in)versos. São Paulo: Massao Ohno, 1990.

Saito, Roberto; Goga, H. Masuda; Handa, Francisco. 100 haicaístas brasileiros. São Paulo: Aliança Cultural Brasil-Japão / Massao Ohno, 1990.

Solé, José; Nejar, Carlos. De amar e amor. Vitória: Fundação Ceciliano Abel de Almeida, 1992.

Senegal, Humberto; Goga, H. Massuda; Saito, Roberto; Handa, Francisco. Antologia do haicai latino-americano. São Paulo: Aliança Cultural Brasil-Japão / Massao Ohno, 1993.

Prêmio Caetano Veloso. Poemas fora da ordem. Salvador: STIEP/AEPET/Sidiquímica/Fundação Gregório de Mattos, 1993.

Maciel, Nilto. Alma Gentil / Novos sonetos de Amor. Brasília: Códice, 1994.

Lyra, Pedro; Aragão, Verônica de. Sincretismo - A poesia da geração 60. Rio de Janeiro: Topbooks/Fundação Cultural de Fortaleza/Fundação RioArte, 1995.

Faria, Álvaro Alves de. Anjos poéticos. São Paulo: Nova Alexandria, 1995.

Cardoso Filho, Jusberto. Antologia poética de Ouro Preto. Ouro Preto: Ed. Autor, 1995.

Hühne, Leda Miranda. Poesia Viva nº 2. Rio de Janeiro: UAPÊ, 1996.

Tauil, Néa. Poetismo brasileiro. São Paulo: ABNL, 1997.

Alcântara, Beatriz; Sarmento, Lourdes. Águas dos trópicos. Fortaleza / Recife: SECULT DO CEARÁ / Ed. Bagaço, 2000.

Hühne, Leda Miranda; Hühne, Hans. Naturaleza - Imagens e versos. Rio de Janeiro: UAPÊ, 2000.

Cleide Barcelos. Santa Poesia. Rio de Janeiro: Casarão Hermê, 2001.

Moriconi, Ítalo. Os cem melhores poemas brasileiros. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

Participação em Antologias de contos editadas no Brasil

Coutinho, Edilberto. Erotismo no conto brasileiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

Denser, Márcia. Muito prazer - Contos Eróticos Femininos. Rio de Janeiro: Record, 1982.

Denser, Márcia. O prazer é todo meu - Contos Eróticos Femininos. Rio de Janeiro: Record, 1984.

Percia, Vicente de. Quer que eu te conte um conto?. Rio de Janeiro: Achiamé, 1984.

Nascimento, Esdras do. Histórias de amor infeliz. Rio de Janeiro: Nórdica, 1985.

Secretaria Municipal de Cultura de Catagueses, MG. Contos Rosário Fusco/Poesia Ascânio Lopes. Catagueses: Secretaria Municipal de Cultura de Catagueses, MG, 1985.

Ladeira, Julieta de Godoy. Memórias de Hollywood. São Paulo: Nobel, 1988.

Moriconi, Ítalo. Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

Participação em Antologias de poesia editadas no Exterior

Kovadloff, Santiago. Las voces solidarias (Antología bilingue de la poesía brasileña contemporânea). Buenos Aires: Ed. Calicanto, 1978.

Matos, Gramiro de; Seabra, Manuel de. Antologia da novíssima poesia brasileira. Lisboa: Livros Horizonte, 1981.

Aletti, Adelina. Il cavalo de Troia. [Por: Adelina Aletti]. Milão: Intrapresa, 1982.

Willensen, August. Hymne aan de nacht. Roterdam: Rotterdamse Kunstsichting, 1985.

Willensen, August. Renga. Roterdam: Rotterdamse Kunstsichting, 1985.

Laschen, Gregor. Zerstreuung des alphabets. Alemanha: Die Horen, 1986.

Trois [Por: Claire Varin]. Montréal: Conseil des Arts du Canada / Ministère des Affairs Cuilturelles du Québec, 1988.

Puro Cuento [Por: Agustina Roca]. Buenos Aires: Puro Cuento S.R.L., s.d.

Purgatorio, Agnese. Proto [Por: Agnese Purgatorio]. Bari, Itália: Proto, 1990.

Poësi is een gebaar - Latijns Amerika. Roterdam: Poetry International, 1994.

Castro, Sílvio. Poeti brasiliani contemporanei. Veneza / Padova, Itália: Universitá di Padova, 1997.

Sarmento, Lourdes. Poésie du Brésil. Paris: Vericuetos, 1997.

Der Gegenwart, Herausgegeben von Curt Meyer-Clason. Modernismo Brasileiro und die brasilianische Lyrik. Berlim: Druckhaus Galrev, 1997.

Anto. Amarante, Portugal: Edições do Tâmega. Nº 3, 1998.

Parnasso [Por: Hilkka Mäki]. Neljas Kirja. Finlândia: s.e., 2000.

Faria, Álvaro Alves de. Brasil 2000: antologia de poesia contemporânea brasileira. Coimbra, Portugual: Alma Azul, 2000.

Poesia e artes plásticas nº 10. Tabacaria. Lisboa: Casa Fernando Pessoa, 2001.

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.