Théon Spanúdis :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Théon Spanúdis

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

De origem grega, Théon Spanúdis nasceu em 1915, em Esmirna (İzmir) na atual Turquia. Passou a infância em Atenas onde, mais tarde, formou-se em medicina. Ainda jovem, emigrou para Viena onde estudou psicanálise com Otto Fleishman e August Aichhorn. Chegou a São Paulo em 1950 e incorporou-se à Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo. Sete anos mais tarde foi obrigado a renunciar à prática da psicanálise em razão de sua orientação sexual.

Entusiasta das artes, comprou sistematicamente obras de pintores brasileiros, então desconhecidos, como Alfredo Volpi e José Antônio da Silva, cuja venda posterior lhe garantiram tranquilidade para dedicar-se exclusivamente à pintura e à literatura. Após um ano em Salvador juntou-se ao Movimento Neoconcreto no Rio de Janeiro, e assinou o Manifesto Neoconcretista ao lado de Lygia Clark, Lygia Pape, Amílcar de Castro, Franz Weissmann, Reynaldo Jardim, Sergio Camargo e Ferreira Gullar, participando também da I Exposição de Arte Neoconcreta.

Novamente em São Paulo colaborou como crítico de arte nas revistas Habitat e Convívio; escreveu também os textos de diversas exposições que organizou, além de apresentações e ensaios críticos que publicou em volume. Dirigiu teatro e deu aulas introdutórias à pintura moderna. Escreveu em português, grego e alemão, publicando seu primeiro livro de poemas, Hinos, em São Paulo, em 1963, e o primeiro livro de contos, Τα χώματα, em Atenas, em 1967.

Como uma despedida do domínio das musas, traduziu ao português o grande poeta grego alexandrino Konstantinos Kaváfis, obra realizada, em suas próprias palavras, num espírito lúdico-amoroso, sem eruditismos e exatidão gramatical, e onde considerou muito mais importante reproduzir o palpitar rítmico - emotivo - atmosférico, do que realizar uma tradução erudita, fria e exata.

Em 1979, doou sua coleção de arte, que contava 453 obras, ao Museu de Arte Contemporânea da USP, mantendo em seu poder algumas obras, que entregou em testamento. Théon Spanúdis faleceu em 1986.

Verbete publicado em 22 de February de 2006 por:
Roger Sulis
Marie-Hélène Catherine Torres

Excertos de traduções

Poema "Longe", de Konstantinos Pétru Kaváfis. Tradução de Théon Spanúdis

Μακρυά

Θάθελα αυτήν την μνήμη να την πω...
Μα έτσι εσβύσθη πια... σαν τίποτε δεν απομένει -
γιατί μακρυά, στα πρώτα εφηβικά μου χρόνια κείται.

Δέρμα σαν καμωμένο από ιασεμί...
Εκείνη του Αυγούστου - Αύγουστος ήταν; - η βραδυά...
Μόλις θυμούμαι πια τα μάτια· ήσαν, θαρρώ, μαβιά...
Α ναι, μαβιά· ένα σαπφείρινο μαβί.

Longe

Queria esta memória falar...
Mas apagou-se já... quase nada subsiste -
porque bem longe, nos primórdios da minha mocidade se situa.

Pele como formada de jasmins...
Aquela noite de Agosto - era Agosto? - a noite...
Quase esqueci os olhos· eram acho violetas...
Ah, sim, violetas· um violeta de safiras.

 

Kaváfis, Kosntantinos. Os Poemas (1897-1914). Desterro: Edições Nefelibata, 2003, p. 112.

Kaváfis, Konstantinos. 77 poemas. [Por: Théon Spanúdis]. São Paulo: Kosmos, 1979, p. 32.

Poema "Gris", de Konstantinos Pétru Kaváfis. Tradução de Théon Spanúdis

Γκρίζα

Κυττάζοντας ένα οπάλλιο μισό γκρίζο
θυμήθηκα δυο ωραία γκρίζα μάτια
που είδα· θάναι είκοσι χρόνια πριν...
..............................................................

Για έναν μήνα αγαπηθήκαμε.
Έπειτα έφυγε, θαρρώ στην Σμύρνη,
για να εργασθεί εκεί, και πια δεν ιδωθήκαμε.

Θ' ασχήμισαν - αν ζει - τα γκρίζα μάτια·
θα χάλασε τ' ωραίο πρόσωπο.

Μνήμη μου, φύλαξέ τα συ ως ήσαν.
Και, μνήμη, ό,τι μπορείς από τον έρωτά μου αυτόν,
ό,τι μπορείς φέρε με πίσω απόψι.

Gris

Olhando uma opala meio-gris
lembrei-me de dois belos olhos gris
que vi uns vinte anos já passados...
............................................................

Por um mês nos amamos e depois
foi, se não me engano, para Smýrni
lá trabalhar, e nunca mais nos vimos.

Devem ser enfeados os olhos gris
e deformado o belo rosto se ainda vivo.

Memória minha, guarda-os como eram.
E tudo que puder deste amor, Memória,
tudo que possas traz de volta hoje.

 

Kaváfis, Kosntantinos. Os Poemas (1915-1919). Desterro: Edições Nefelibata, 2004, p. 54.

Kaváfis, Konstantinos. 77 poemas. [Por: Théon Spanúdis]. São Paulo: Kosmos, 1979, p. 46.

Bibliografia

Traduções Publicadas

Spanúdis, Théon. Novos Poemas. São Paulo: Kosmos, 1978. [Inclui a tradução de 9 poemas de Konstantinos Kaváfis.]

Kaváfis, Konstantinos. 77 poemas. [Por: Théon Spanúdis]. São Paulo: Kosmos, 1979.

Obra própria

Poesia

Spanúdis, Théon. Hinos. São Paulo: Kosmos, 1963.

Spanúdis, Théon. Dez poemas concretos. São Paulo: Kosmos, 1964.

Spanúdis, Théon. Liturgias. São Paulo: Kosmos, 1965.

Σπανούδης, Θέων. Παλμοί. Αθήναι: Ίκαρος, 1966.

Spanúdis, Théon. Seixos, onze poemas barrocos. São Paulo: Kosmos, 1967.

Σπανούδης, Θέων. Τα χώματα. Αθήναι: Ίκαρος, 1967.

Σπανούδης, Θέων. Δονήσεις. Αθήναι: Ίκαρος, 1968.

Spanúdis, Théon. Poemas. São Paulo: Kosmos, 1969.

Spanúdis, Théon. Poesia íntegra. São Paulo: Kosmos, 1970.

Spanúdis, Théon. Poemas-poems-poème. São Paulo: Kosmos, 1970.

Σπανούδης, Θέων. Πεζός λόγος: Το βιβλίο, τα χώματα, το κατώφλι. Αθήναι: Ίκαρος, 1971.

Σπανούδης, Θέων. Ποίηση. Αθήναι: Ίκαρος, 1973.

Spanudis, Theon. Skizzen und Klänge. München: Ora, 1975.

Spanúdis, Théon. Poética. São Paulo: Kosmos, 1975.

Σπανούδης, Θέων. Στοίχοι λατρείας και χωρισμού. Αθήνα: Ίκαρος, 1975.

Σπανούδης, Θέων. Κρούσεις. Αθήνα: Ίκαρος, 1977.

Spanudis, Theon. Sprüche und Sänge. München: Ora, 1977.

Σπανούδης, Θέων. Άπαντα. Αθήνα: Ίκαρος, 1979.

Spanúdis, Théon. Versos e poemas espaciais. São Paulo: Kosmos, 1984.

Crítica de arte

Spanúdis, Théon. Volpi. Düsseldorf; Rio de Janeiro: H. Krüger; Kosmos, 1975.

Spanúdis, Théon. José Antonio da Silva. São Paulo: Kosmos, 1976.

Spanúdis, Théon. Pinturas de Leonel Brayner. São Paulo: Paulo Figueiredo Galeria de Arte, 1979.

Spanúdis, Théon. Coleção Theon Spanudis, São Paulo: MAC, 1980.

Spanúdis, Théon. Sonia Von Bruscky: Pinturas. Salvador: Museu de arte da Bahia, 1983.

Spanúdis, Théon. Fang, Chen-Kong. São Paulo: Dan Galeria, 1984.

Psicanálise

Spanúdis, Théon. Delinquência e psicanálise. São Paulo: Ibdc, 1954.

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.