Sergio Faraco :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Sergio Faraco

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

O escritor e tradutor gaúcho, Sergio Faraco, nasceu em Alegrete, em 1940. Entre 1963 e 1965, viveu em Moscou, onde cursou Economia Política e Filosofia, no Instituto Internacional de Ciências Sociais. Logo que retornou para o Brasil, em 1965, começou a escrever seus primeiros contos, os quais foram posteriormente publicados no Caderno de Sábado do jornal Correio do Povo, de Porto Alegre.

Anos mais tarde, entre as décadas de 70 e 80, cursou a faculdade de Direito e graduou-se Bacharel, pelas Faculdades Integradas do Instituto Ritter dos Reis, em Canoas. Na mesma época, começou a trabalhar na editora da UFRGS, cedido pela Justiça do Trabalho, onde era Diretor de Secretaria de uma vara, cargo que exerceu até se aposentar.

Apesar do compromisso profissional dentro da Justiça do Trabalho, Faraco nunca deixou de traduzir, escrever e publicar suas obras próprias, as quais sempre foram muito bem recebidas pela crítica e pelo público, não apenas do Brasil, mas também de outros países, incluindo Alemanha, Argentina, Bulgária, Chile, Colômbia, Cuba, Estados Unidos, Paraguai, Portugal, Uruguai e Venezuela.

Assim, em 1988, seu livro, A Dama do Bar Nevada, obteve o Prêmio Galeão Coutinho, conferido pela União Brasileira de Escritores ao melhor volume de contos lançado no Brasil no ano anterior. Em 1994, o livro de crônicas, A Lua com sede, recebeu o Prêmio Henrique Bertaso; em 1996, foi novamente laureado, desta vez  com o Prêmio Açorianos de Literatura - Conto, pelo livro Contos completos. Outras distinções recebidas foram: Prêmio Nacional de Ficção da Academia Brasileira de Letras, em 1999, pela obra Dançar tango em Porto Alegre; Troféu Destaque Literário, em 2000, pelo livro de contos Rondas de escárnio e loucura; Prêmio Érico Veríssimo, em 2003, por Lágrimas na chuva; Destaque do Ano do evento O Sul e os livros para a coletânea bilíngue Dall’altra sponda/Da outra margem, em que participa, ao lado de Armindo Trevisan e José Clemente Pozenato; Prêmio Livro do Ano da Associação Gaúcha de Escritores, em 2007, pelo livro O crepúsculo da arrogância e, por fim, a Medalha da Cidade de Porto Alegre, concedida pela Prefeitura Municipal, em 2008, por sua trajetória profissional e contribuição para a cultura.

No campo da tradução, começou a trabalhar em 1982, quando traduziu o livro Cavalos do Amanhecer, do escritor uruguaio Mario Arregui. A partir de então, dedicou-se à tradução para o português de mais de vinte obras de autores de renome da língua espanhola, incluindo Miguel de Unamuno, Eduardo Galeano e Horacio Quiroga. Faraco também traduziu do russo a obra Contos Italianos, de Máximo Gorki.

Verbete publicado em 14 de May de 2009 por:
Fedra Rodríguez Hinojosa
Marie-Hélène Catherine Torres

Bibliografia

Traduções Publicadas

Arregui, Mario. Cavalos do Amanhecer. [Por: Sergio Faraco]. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1982.

Montejo, Eugenio. O poeta sem rio. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Movimento, 1985.

Giardinelli, Mempo. Luna caliente. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: L&PM, 1985.

Arregui, Mario. A cidade sileciosa. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Movimento, 1985.

Giardinelli, Mempo. O céu em minhas mãos. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: L&PM, 1986.

Giardinelli, Mempo. A revolução de bicicleta. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: L&PM, 1987.

Díaz, Acevedo. Para sempre Uruguai. [Por: Sergio Faraco; Aldyr Schlee]. Porto Alegre: IEL, 1991.

Morosoli, Juan José. A longa viagem de prazer. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1991.

Maggi, Carlos. A história de Naná. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1991.

Murguía, Julián. Contos do país dos gaúchos. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1992.

Moraes, Jesús. Os demônios de Pilar Ramírez. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1992.

Mattos, Tomás de. Bernabé, Bernabé! [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1992.

Ceballos, José Gabriel. Made in Buenavista. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Tchê!, 1992.

Saguier, Raquel. A menina que perdi no circo. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993.

Murguía, Julián. O amigo que veio do Sul. [Por: Sergio Faraco]. São Paulo: FTD, 1993.

Alcalá, Guido Rodríguez. Caballero. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Tchê!, 1994.

Murguía, Julián. A guerra das formigas. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1994.

Quiroga, Horacio. Vozes da selva. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1994.

Vilariño, Idea. Noturnos e outros poemas. [Por: Sergio Faraco]. São Leopoldo: Unisinos, 1996.

Arlt, Roberto. Armadilha mortal. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: L&PM, 1997.

Quiroga, Horacio. História de um louco amor. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1998.

Gorki, Máximo. Contos italianos. [Por: Sergio Faraco]. Florianópolis: Garapuvu, 1998.

Quiroga, Horacio. Uma estação de amor. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: L&PM, 1999.

Quiroga, Horacio. Passado amor. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1999.

Galeano, Eduardo. De pernas pro ar. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: L&PM, 1999.

Unamuno, Miguel de. São Manuel Bueno, mártir. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: L&PM, 1999.

Galeano, Eduardo. O teatro do bem e do mal. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: L&PM, 2002.

Quiroga, Horacio. A galinha degolada e outros contos. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: L&PM, 2003.

Quiroga, Horacio. Heroísmos: biografias exemplares. [Por: Sergio Faraco]. Porto Alegre: L&PM, 2003.

Obra própria

Faraco, Sergio. Idolatria. Alegrete: Cadernos do Extremo Sul, 1970.

Faraco, Sergio. Depois da primeira morte. Porto Alegre: Bels, 1974.

Faraco, Sergio. Os melhores contos brasileiros de 1974. Porto Alegre: Globo, 1975.

Faraco, Sergio. Assim escrevem os gaúchos. São Paulo: Alfa-Omega, 1976.

Faraco, Sergio. Histórias ordinárias. Porto Alegre: Documento, 1977.

Faraco, Sergio. O moderno conto brasileiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

Faraco, Sergio. Antologia da literatura rio-grandense contemporânea, v.1. Porto Alegre: L&PM, 1978.

Faraco, Sergio. Urartu. Porto Alegre: UFRGS e IEL, 1978.

Faraco, Sergio. Hombre. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

Faraco, Sergio. Tiradentes: a alguma verdade (ainda que tardia). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

Faraco, Sergio. Contos brasileiros. Ijuí: FIDENE, 1981.

Faraco, Sergio. Dicionário de autores contemporâneos. Porto Alegre: Prefeitura Municipal, 1983.

Faraco, Sergio. Manilha de espadas. Rio de Janeiro: Philobiblion, 1984.

Faraco, Sergio. Rodízio de contos. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1985.

Faraco, Sergio. Setecontos/Setencantos, v.1. São Paulo: FTD, 1986.

Faraco, Sergio. Noite de matar um homem. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1986.

Faraco, Sergio. Doce paraíso. Porto Alegre: L&PM, 1987.

Faraco, Sergio. Amor à brasileira. São Paulo: Traço, 1987.

Faraco, Sergio. A dama do Bar Nevada. Porto Alegre: L&PM, 1987.

Faraco, Sergio. O processo dos inconfidentes. Petrópolis: Vozes, 1990.

Faraco, Sergio. O chafariz dos turcos. Porto Alegre: L&PM, 1990.

Faraco, Sergio. Majestic Hotel. Porto Alegre: L&PM, 1991.

Faraco, Sergio. Marcosul. Porto Alegre: Tchê!, 1992.

Faraco, Sergio. Uma questão de liberdade. Porto Alegre: Tchê! e IEL, 1993.

Faraco, Sergio. A lua com sede. Porto Alegre: L&PM, 1993.

Faraco, Sergio. Amigos secretos. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1994.

Faraco, Sergio. Contos completos. Porto Alegre: L&PM, 1995.

Faraco, Sergio. Dançar tango em Porto Alegre. Porto Alegre: L&PM, 1998.

Faraco, Sergio. Gregos & Gringos. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1998.

Faraco, Sergio. Antologia crítica do conto gaúcho. Porto Alegre: WS Editor & Sagra Luzatto, 1998.

Faraco, Sergio. Sete estações da loucura. Florianópolis: Garapuvu, 1998.

Faraco, Sergio. Para ler os gaúchos. Porto Alegre: Novo Século, 1999.

Faraco, Sergio. Os cem melhores contos brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

Faraco, Sergio. Rondas de escárnio e loucura. Porto Alegre: L&PM, 2000.

Faraco, Sergio. Viva o Alegrete! Porto Alegre: Edição Fora de Comércio, 2000.

Faraco, Sergio. Viva o Alegrete: histórias da fronteira. Porto Alegre: L&PM, 2001.

Faraco, Sergio. Cinco histórias do Sul. Porto Alegre: Unidade Editorial da SMC, 2001.

Faraco, Sergio. De braços abertos: Rio Grande, um país no coração. Porto Alegre: L&PM & Cia. Zaffari, 2001.

Faraco, Sergio. Meia encarnada, dura de sangue. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2001.

Faraco, Sergio; Almeida, Hugo. O automóvel: prazer em conhecê-lo. Porto Alegre: L&PM, 2001.

Faraco, Sergio. Lágrimas na chuva: uma aventura na URSS. Porto Alegre: L&PM, 2002.

Faraco, Sergio . Os 35 melhores contos do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: IEL, 2003.

Faraco, Sergio; Trevisan, Armindo; Pozenato, José Clemente. Dall'altra sponda/Da outra margem. Porto Alegre e Veneto: Camera di Commercio Italiana e Regione del Veneto, 2004.

Faraco, Sergio. Histórias dentro da História. Porto Alegre: L&PM, 2005.

Faraco, Sergio. Contos para ler em viagem. Rio de Janeiro: Record, 2005.

Faraco, Sergio; Dias, Paulo Dirceu. Snooker: tudo sobre a sinuca. Porto Alegre: L&PM, 2005.

Faraco, Sergio. O crepúsculo da arrogância: RMS Titanic minuto a minuto. Porto Alegre: L&PM, 2006.

Faraco, Sergio. 22 contistas em campo. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

Faraco, Sergio. Gente Vida. Porto Alegre: Nova Prova, 2006.

Faraco, Sergio. Nem sempre foi assim/Contos dos anos de chumbo. Florianópolis: Garapuvu, 2007.

Faraco, Sergio. Os melhores contos da América Latina. Rio de Janeiro: Agir, 2008.

Faraco, Sergio. O pão e a esfinge. Porto Alegre: L&PM, 2008.

Faraco, Sergio. Quintana e eu. Porto Alegre: L&PM, 2008.

 

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.