Paulo Leminski :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Paulo Leminski

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Paulo Leminski, nascido no ano de 1944, em Curitiba-PR, foi seminarista do mosteiro paulista São Bento, onde ingressou em 1958 e aprendeu o latim. Além desse idioma, ainda estudaria profundamente o inglês, o francês e o grego.

Foi professor de História e Redação em cursos pré-vestibulares, diretor de criação e redator de publicidade. Atuou em vários veículos de comunicação e escreveu biografias de, entre outros, Cruz e Souza, Jesus Cristo e Bashô. Casado com uma poeta e cineasta, Berenice Mendes, também se envolveu com a arte áudio-visual. Como músico e compositor (lado pouco conhecido seu) obteve considerável sucesso, tendo inclusive uma letra gravada por Caetano Veloso, Verdura . A face mais conhecida de Leminski diz respeito à atividade literária. Sua extensa bibliografia abarca poesia, romances, novelas, contos, peças teatrais, roteiros televisivos e cinematográficos, ensaios críticos, artigos jornalísticos e traduções.

Somente durante os anos de 1984 e 1985 publica cinco grandes traduções. Entre os autores das obras traduzidas estão James Joyce, John Fante e Petrônio.

Verbete publicado em 3 de June de 2005 por:
Luiz Henrique Milani Queriquelli
Mauri Furlan

Excertos de traduções

Trecho do Capítulo XXIII do Satyricon, de Petrônio. Tradução de Paulo Leminski.

Refectum igitur est convivium et rursus Quartilla ad bibendum revocavit. Adiuvit hilaritatem comissantis cymbalistria.Intrat cinaedus, homo omnium insulsissimus et plane illa domo dignus, qui ut infractis manibus congemuit, eiusmodi carmina effudit:

A festa recomeça, e Quartila chama todo mundo para recomeçar a beber, ao alegre som da cymbalistria. Entra um dançarino completamente bicha, como, aliás, tudo naquela casa, e, batendo as mãos para marcar o ritmo, largou um poema que dizia assim:

 

Huc huc convenite nunc, spatalocinaedi,

pede tendite, cursum addite, convolate planta,

femore facili, clune agili et manu procaces,

molles, veteres, Deliaci manu recisi

Vem comigo, vem comigo,

Vocês que gozam pelos cinco sentidos,

Pezinho pra frente, bundinha pra trás,

Delírios e delícias orientais.

Bibliografia

Traduções Publicadas

Beckett, Samuel. Malone Morre. [Por: Paulo Leminski]. São Paulo: Brasiliense, 1986. 16Op. lndicação editorial, posfácio e traduções do francês e inglês. (Malone Dies)

Fante, John. Pergunte ao pó. [Por: Paulo Leminski]. São Paulo: Brasiliense, 1984. (Ask the dust)

Ferlinghetti, Lawrence. Vida sem fim. [Por: Paulo Leminski; Nelson Ascher] São Paulo: Brasiliense, 1984. (Endless life)

Jarry, Alfred. O supermacho. [Por: Paulo Leminski]. São Paulo: Brasiliense, 1985. 135p. (The Supermale)

Joyce, James. Giacomo Joyce. [Por: Paulo Leminski]. São Paulo: Brasiliense, 1985. 94p. Edição bilingüe, tradução e posfácio. (Giacomo Joyce)

Lennon, John. Um atrapalho no trabalho. [Por: Paulo Leminski]. São Paulo:Brasiliense, 1985. (A Spaniard In The Works)

Mishima, Yukio. Sol e aço. [Por: Paulo Leminski]. São Paulo: Brasiliense, 1985. (Tayô to tetsu)

Petrônio. Satyricon. [Por: Paulo Leminski]. São Paulo: Brasiliense, 1985.191 p. Tradução do latim. (Satyriconlibri)

Fogo e água na terra dos deuses. Poesia egípcia antiga . [Por: Paulo Leminski].São Paulo: Expressão,1987.28p.Coleção Bagatela II, volume 1.

 

 

Obra própria

Poesia

Leminski, Paulo. Quarenta clics em Curitiba. Poesia e fotografia, com o fotógrafo Jack Pires. Curitiba: Etecetera, 1976. Reedição: Secretaria de Estado Cultura, Curitiba, 1990.

Leminski,  Paulo. Polonaises. Curitiba: Ed. do Autor, 1980.

 Leminski, Paulo. Não fosse isso e era menos/ não fosse tanto e era quase (80 poemas). Curitiba: Zap, 1980.

Leminski,  Paulo. Tripas. Curitiba: Ed. do Autor, 1980.

Leminski,  Paulo. Caprichos e relaxos (inclui parcialmente não fosse isso e Polonaises). São Paulo: Brasiliense, 1983.

Leminski, Paulo. Hai Tropikais. Ouro Preto: Fundo Cultural de Ouro Preto, 1985.

Leminski,  Paulo. Um milhão de coisas. São Paulo: Brasiliense, 1985.

 Leminski, Paulo. Caprichos e relaxos. São Paulo: Círculo do Livro, 1987.

Leminski,  Paulo. Distraídos venceremos. São Paulo: Brasiliense, 1987. 5.ed. 1995. (reimpresso em 1999)

 Leminski, Paulo. La vie en close. São Paulo: Brasiliense, 1991. (reimpresso em 1999)

Leminski,  Paulo. Winterverno. Curitiba: Fundação Cultural de Curitiba,  1994. Reedição: Iluminuras, 2001. Desenhos de João Virmond.

Leminski, Paulo. O ex-estranho.  São Paulo: Iluminuras, 1996.

Leminski,  Paulo. Melhores poemas de Paulo Leminski. (Org. Alvaro Marins; Fréd Góes)  São Paulo: Global, 1996. (5. ed. 2001)

Prosa

Leminski, Paulo. Catatau. Curitiba: Ed. do Autor, 1975. 213p. Prosa experimental.

Leminski, Paulo. Agora é que são elas. São Paulo: Brasiliense, 1984.163p. Romance.

Leminski, Paulo. Catatau. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, 1989. 230p.

Leminski, Paulo. Metaformose, uma viagem pelo imaginário grego.  São Paulo: Iluminuras, 1994. (Prêmio Jabuti de poesia, 1995.) Prosa poética/ensaio.

Leminski, Paulo. Descartes com lentes. Curitiba:  Fundação Cultural de Curitiba, 1995. Col. Buquinista. Conto

Leminski,  Paulo. Catatau. 3ª ed. Curitiba: Travessa dos Editores, 2004. Texto/edição crítica e anotada.

Leminski,  Paulo. Gozo Fabuloso. São Paulo: DBA, 2004. Contos.

Leminski,  Paulo. Minha classe gosta. Logo, é uma bosta). Curitiba: Raposa Magazine. Fundação Cultural de Curitiba, nº 4, nov/1981, PR. Novela.

Biografias

Leminski, Paulo. Cruz e Souza. São Paulo: Brasiliense. 1985. 78p. Reedição: 2003.

Leminski,  Paulo. Matsuó Bashô. São Paulo: Brasiliense, 1983.

Leminski, Paulo. Jesus. São Paulo: Brasiliense, 1984, 119p. Reedição: 2003.

Leminski,  Paulo. Trotski: a paixão segundo a revolução. São Paulo: Brasiliense, 1986.

Leminski, Paulo. Vida. Porto Alegre: Sulina,  1990. Reedição: 1998. Biografias: Cruz e Souza, Bashô, Jesus e Trótski.

Literatura Infanto-juvenil

Leminski,  Paulo. Guerra dentro da gente. São Paulo: Scipione, 1986. 64p.

Leminski, Paulo. A lua foi ao cinema. São Paulo: Pau Brasil, 1989. Ensaio

Leminski,  Paulo. "Apêndice". In: POE, Edgar Allan. O corvo. São Paulo: Expressão, 1986.

Leminski,  Paulo. "Poesia paixão da linguagem". In: Sentidos da paixão. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 1987.

Leminski,  Paulo. "Nossa linguagem". In: Leminski, Paulo (Org.). Revista Leite Quente. Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, v.1, n.1, mar.1989.

Leminski, Paulo. Anseios crípticos (anseios teóricos): peripécias de um investigador dos sentido no torvelinho das formas e das ideias. Curitiba: Criar, 1986. 143p.

Leminski,  Paulo. Metaformose, uma viagem pelo imaginário grego.  São Paulo:Iluminuras, 1994.

 Leminski, Paulo. Ensaios e anseios crípticos. Curitiba: Polo Editorial, 1997.

 Leminski, Paulo. Anseios Crípticos 2. Curitiba: Criar, 2001.

Roteiros de H.Q.

 Leminski, Paulo. O anãozinho do bordel. Grafipar, 1979, PR. Reproduzida em VOLÚPIA de Júlio Shimamoto, Opera Graphica, SP, 2000.

Leminski,  Paulo. Sinal verde para o prazer. Grafipar, 1979, PR.

 Leminski, Paulo. A vida e morte. Grafipar, 1979, PR.

Paulo Leminski no exterior

Leminski,  Paulo. Szórakozott Gyozelmunk [Tradução de Zoltán Egressy]. Hungria: Kráter, 1994.

Leminski,  Paulo. Aviso a los náufragos. [Traduzida por Rodolfo Mata]. Coyoacán-México: Eldorado, 1997. 79p.

Textos não-publicados

 Leminski, Paulo. Argumento. Peça teatral.

Leminski,  Paulo. Roteiro para documentário sobre o Museu David Carneiro.

Leminski,  Paulo. Quando papai voltar. Roteiro de H.Q.

 

 

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.