Milton Hatoum :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Milton Hatoum

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Nasceu no dia 19 de agosto de 1952 em Manaus, Amazonas, onde passou a maior parte da sua vida. Filho de um imigrante libanês com uma brasileira de origem também libanesa, o convívio com árabes do Oriente Médio e judeus do norte da África permitiu a Milton Hatoum assimilar um pouco a cultura, a religião e a língua desses povos.

Na década de 1970 diplomou-se em Arquitetura na Universidade de São Paulo. Foi professor de Língua e Literatura Francesa na Universidade Federal do Amazonas de 1984 a 1999 e professor-visitante da Universidade da Califórnia, em Berkeley. Foi também escritor-residente nas Universidades de Stanford, Yale e Berkeley.

Trabalhou como colaborador da revista ISTOÉ. Em 1980, viajou como bolsista para a Espanha, morando em Madri e Barcelona, onde começou a pensar em escrever um romance. Morou três anos em Paris para cursar Doutorado em literatura na Sorbonne, sem concluí-lo.

Começou sua carreira de escritor com a publicação de um livro de poemas e fotografias, republicados pela revista Babel (2000). Fez a indicação editorial e assinou a introdução do livro Orientalismo - O Oriente como invenção do Ocidente, do palestino-americano Edward Said.

Sua primeira obra, o romance Relato de um certo Oriente, Prêmio Jabuti 1990, foi publicada em 1989 e traduzida para diversas línguas, mais recentemente para o inglês, por John Gledson, com o título de Tale of a certain Orient - Londres, Bloomsbury, 2004. O romance foi também publicado nos Estados Unidos, na França, na Espanha, na Itália, na Alemanha, em Portugal e na Suíça.

No segundo romance, Dois irmãos, consagrado nacionalmente e também ganhador do Prêmio Jabuti, o autor aborda um drama familiar de imigrantes e brasileiros na cidade de Manaus. Milton Hatoum levou quatro anos para escrever este romance que, seguindo o mesmo caminho do primeiro, foi traduzido para o inglês, o francês, o holandês, o alemão, o árabe, o espanhol e o italiano. Ele acompanha as versões de suas obras quando pode, mas nas línguas em que não é fluente, ele tem de confiar nos tradutores.

Além do francês, já traduziu do inglês e talvez venha a traduzir do espanhol. Tradutor somente de obras literárias, escolhe as obras que considera importantes para o leitor brasileiro. Ele não escreve sobre sua prática tradutória e não se apoia em teorias para realizar suas traduções.

Verbete publicado em 14 de October de 2006 por:
Narceli Piucco
Marie-Hélène Catherine Torres

Excertos de traduções

Fragmento de Um coração simples, de Gustave Flaubert. Tradução de Milton Hatoum & Samuel Titan Jr.:

Un coeur simple

II

Um coração simples

II

Elle avait eu, comme un autre, son histoire d'amour!

Ela tivera, como qualquer outra, sua história de amor.

Son père, un maçon, s'était tué en tombant d'un échafaudage. Puis sa mère mourut, ses soeurs se dispersèrent, un fermier la recueillit, et l'employa toute petite à garder les vaches dans la campagne. Elle grelottait sous des haillons, buvait à plat ventre l'eau des mares, couchait sur la paille, servait les domestiques, à propos de rien était battue, et finalement fut chassée pour un vol de trente sols, qu'elle n'avait pas commis. Elle entra dans une autre ferme, - y devint fille de basse-cour, et, comme elle plaisait aux patrons, ses camarades la jalousaient.

O pai, pedreiro, morrera ao cair de um andaime. Depois a mãe morreu, as irmãs se dispersaram, o dono de uma granja recolheu-a e a mandou, pequenina ainda, cuidar das vacas no pasto. Ela tiritava em seus farrapos, bebia de bruços a água dos brejos, era surrada sem razão e finalmente foi expulsa por conta do furto de trinta centavos, que ela não cometera. Entrou para outra granja, onde tratava do galinheiro e, como agradava aos patrões, era invejada pelos camaradas.

Un soir du mois d'août (elle avait alors dix-huit ans), ils l'entraînèrent à l'assemblée de Colleville.

Uma noite do mês de agosto (tinha então dezoito anos), levaram-na à festa de Colleville.

Flaubert, Gustave. Un coeur simple. In:Três contos. Paris: Líbrio,1995. p.10 -11.

Flaubert, Gustave. Um coração simples. In:Três contos. [Por: Milton Hatoum & Samuel Titan Jr.]. São Paulo: Cosac & Naify, 2004, p.17. (Trois contes).

Fragmento de Monsieur Armand, vulgo Garrincha, de Serge Valletti. Tradução de Ângela Leite Lopes:

Zana teve de deixar tudo; o bairro portuário de Manaus, a rua em declive sombreada por mangueiras centenárias, o lugar que para ela era quase tão vital quanto a Biblos de sua infância: a pequena cidade no Líbano que ela recordava em voz alta, vagando pelos aposentos empoeirados até se perder no quintal, onde a copa da velha seringueira sombreava as palmeiras e o pomar cultivados por mais de meio século.

Zana had to leave everything: the Manaus harbour area, with its sloping street shaded by ancient mangotrees, a place almost as vibrant as Biblos, the small town in the Lebanon where she had spent her childhood; she recalled it out loud as she wandered through the dusty rooms, losing herself finally in the garden. There the crown of the old rubber

Perto do alpendre, o cheiro das açucenas-brancas se misturava com o do filho caçula. Então ela sentava no chão rezava sozinha e chorava, desejando a volta de Omar. Antes de abandonar a casa, Zana via o vulto do pai e do esposo nos pesadelos das últimas noites, depois sentia a presença de ambos no quarto em que haviam dormido. Durante o dia, eu ouvia repetir as palavras do pesadelo, "Eles andam por aqui, meu pai e Halim vieram me visitar... eles estão nesta casa', e ai de quem duvidasse disso com uma palavra, um gesto, um olhar. Ela imaginava até o sofá cinzento na sala onde Halim largava o narguilé para abraçá-la, lembrava a voz do pai conversando com os barqueiros e pescadores no Manaus Harbour, e ali no alpendre lembrava a rede vermelha do Caçula, o cheiro dele, o corpo que ela mesma despia na rede onde ele terminava suas noitadas. "Sei que um dia ele vai voltar", Zana me dizia sem olhar para mim, talvez sem sentir a minha presença, o rosto que fora tão belo agora sombrio, abatido. [...]

Near the veranda, the odours of the white lilies and her younger son mingled together. Then she would sit on the ground, praying to herself and weeping, longing for Omar to return. Before she abandoned the house, Zana saw the shadows of her father and her husband, in the nigthmare of her final nights there; she felt both their presences in the room where they had slept. In the day time I heard her repeating words from the nightmare: "They're here somewhere, my father and Halim have come to visit me … they're in this house'; and woe betide anyone who doubted her with a word, a gesture or a look. She imagined the grey sofa in the room where Halim would put his hookah down to come and give her a hug, and remembered her father's voice chatting with the boatmen and fishermen in Manaus Harbour. There on the veranda she remembered her younger sons red hammock, the smell of him, the body she herself would undress in the hammock where he finished up after his nigths on the town. 'I know he'll comeback one day,' Zana said to me without looking at me, maybe not even aware of my presence; her once

Hatoum, Milton. Dois Irmãos. São Paulo: Cia. das Letras, 2000.p.11-12.

Hatoum, Milton. The Brothers. [Por: John Gledson]. London/New York: Bloomsbury/Farrar Straus Giroux, 2002. (Os dois irmãos).

Bibliografia

Traduções Publicadas

Flaubert, Gustave. "Um coração simples". In: Três contos. [Por: Milton Hatoum; Samuel Titan Jr.]. São Paulo: Cosac & Naify, 2004. (Trois contes).

Said, Edward. Representações do intelectual. [Por: Milton Hatoum]. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. (Representations of the intellectual).

Sand, George. "Esperidião". [Por: Milton Hatoum]. In: Contos de horror do século XIX. São Paulo: Companhia das Letras,  2005. (Spiridion).

Schwob, Marcel. A cruzada das crianças. [Por: Milton Hatoum]. Edição bilingue (português/francês). São Paulo: Iluminuras, 1988. (La croisade des enfants).

Obra própria

Hatoum, Milton. Relato de um Certo Oriente. São Paulo: Cia. das Letras, 1990. 1. ed. 1989.

Hatoum, Milton. Dois Irmãos. São Paulo: Cia. das Letras, 2000.

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.