Maria da Graça de Oliveira Bastos :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Maria da Graça de Oliveira Bastos

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Maria da Graça de Oliveira Bastos nasceu em 13 de fevereiro de 1948, no  Rio de Janeiro. É jornalista, artista plástica e tradutora; uma social-democrata, católica, filiada ao Partido Verde . Concluiu seus estudos no Colégio Sacré Coeur de Jésus, RJ, e em 1972 diplomou-se em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

A tradutora Pina Bastos estudou Língua e Literatura Francesa na Aliança Francesa / RJ e na Faculdade de Ciências e Letras de Nancy, França, em 1968; inglês, no IBEU e na PUC/RJ; e Grego e Cultura Grega, na Hellenic American Union em Atenas, 1995. Também fez cursos de Arte em ateliês livres e na Escola de Artes Visuais/Parque Lage; fez também curso de Redação Publicitária, na Escola Superior de Propaganda e Marketing, em 1990.

Como jornalista adquiriu experiência através de estágios, na Redação da Editoria de Pesquisa de O Globo (Chefe: Fernando Ferreira), em 1971, e nas Reportagem dos Jornais falados da Rádio Globo (Chefe: Murilo Rocha e diretor: Mário Franqueira), em 1973. Foi repórter colaborador da revista Pais e filhos, da Bloch Editora, em 1973 e 1974; do Segundo Caderno de O Globo e da Revista de Domingo do Jornal do Brasil, em 1983, além de atuar no Serviço Público como Editora de texto dos catálogos de exposições no INAP – Instituto Nacional de Artes Plásticas - Funarte, de 1979 a 1981.

Pina traduz do  inglês e francês, aprendidos respectivamente no Ibeu e na Açiança Francesa no Rio, e é funcionária da prefeitura do Rio desde 1983, tendo atuado na editoração do Rioarte e do Arquivo Geral da Cidade e atualmente trabalhando no Museu Histórico da Cidade.

Desde 1970, dedica-se principalmente à tradução literária, tendo já traduzido cerca de 8 livros. Algumas de suas principais e mais recentes traduções são: Em busca de Fátima, de Ghada Karmi, para a Editora Record, e o conto “A cafeteira”, de Théophile Gautier, para uma antologia do conto fantástico da Editora Nova Fronteira.

Concomitantemente, atua como artista plástica e tem uma escultura de grande formato na Galeria de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea do Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro.

Como uma ponte entre o autor e o leitor, Pina Bastos, que traduziu importantes textos ensaísticos, projeta traduzir mais autores franceses do século XIX.

Verbete publicado em 18 de November de 2008 por:
Lilia L. C. Agnes
Andréia Guerini

Bibliografia

Traduções Publicadas

 Gautier, Théophile. "A cafeteira". [Por: Pina Bastos]. In: Costa, Flávio Moreira da. (Org.) Os melhores contos fantásticos. São Paulo: Nova Fronteira, 2006. (La cafetière).

Delacorta. Diva. [Por: Pina Bastos]. São Paulo: Record, 1979. (Diva).

Karmi, Ghada. Em busca de Fátima: Uma história palestina. [Por: Pina Bastos], 2007. (In Search of Fatima).

Rachet, Guy. O rei Davi.[Por: Pina Bastos]. São Paulo: Nova Fronteira, 1987. (Le roi David).

Copidesques:

Sartre, Jean Paul "A náusea" (La nausée), "O muro" (Le mur) e "A idade da razão" (L'age de raison).

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.