Lívio Xavier :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Lívio Xavier

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Lívio Barreto Xavier nasceu em Granja (CE) em 25 de abril de 1900 e faleceu em 1988. Advogado, jornalista, escritor e tradutor, cursou a Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, concluindo-a em 1924. Filiou-se ao PCB em 1927 onde foi um membro atuante, mas, por discordar das diretrizes do partido, acabou por se desligar em 1935. Advogou na área trabalhista e se aposentou como Procurador da Justiça do Trabalho. Representou juridicamente o Sindicato dos Jornalistas, dos Ferroviários (de Sorocaba) e dos Gráficos. Escreveu, enquanto jornalista, para o Estado de São Paulo, como editor da coluna Revista da Revistas. Sobre a sua vida e obra, e também sobre suas atividades no partido comunista, destaca-se o estudo biográfico de Alexandre Barbalho (Lívio Xavier - Política e Cultura: um breve ensaio biográfico. A Casa, 2003).

Como escritor, sob o pseudônimo de L. Mantsô, escreveu a obra Tempestade sobre a Ásia (a luta pela Mandckuria) [1934?], pela UNITAS. Em 1974 e 1978 publicou, respectivamente, Infância na Granja e Dez Poemas, ambas pela Massao Ohno. E em 1975 publicou O Elmo de Mambrino, pela José Olympio, que lhe rendeu, em 1976, o prêmio Jabuti, na categoria “Estudos Literários”.

No campo da tradução são inúmeros os seus trabalhos realizados a partir dos considerados clássicos da literatura universal, como a Enciclopédia das Ciências Filosóficas de Hegel, em 1936, O Príncipe e Escritos Políticos de Maquiavel (1940), Ética de Espinosa (1937), Minha Vida de Trotsky (1969), entre outros. Por decisão pessoal de Trotsky, tornou-se responsável pela edição de suas obras no Brasil.[1] A sua tradução de O Príncipe, de Maquiavel, de acordo com Denise Bottman, é a mais reproduzida: “em 11 editoras ou selos editoriais diferentes, em inúmeras e sucessivas reedições: Abril Cultural, Agir, Atena, Ediouro, Edipro, Escala, Fundação para a leitura do cego, Nova Cultural (até 1999), Pocket Ouro, Prestígio e Tecnoprint”.2

 

Verbete publicado em 21 de September de 2019 por:
Mara Gonzalez Bezerra
Andréa Cesco

Excertos de traduções

Excerto de O Príncipe, de Nicolau Maquiavel. Tradução de Lívio Xavier

DE PRINCIPATIBUS
I
QUOT SINT GENERA PRINCIPATUUM ET QUIBUS MODIS ACQUIRANTUR

 
I
DE QUANTAS ESPÉCIES SÃO OS PRÍNCIPES E DE QUANTOS MODOS SE ADQUIREM

tutti li stati, tutti e’ dominii che hanno avuto et hanno imperio sopra li uomini, sono stati e sono o republiche o principati. E’ principati sono o ereditarii, de’ quali el sangue del loro signore ne sia suto lungo tempo principe, o e’ sono nuovi. E’ nuovi, o sono nuovi tutti, come fu Milano a Francesco Sforza, o sono come membri aggiunti allo stato ereditario del principe che li acquista, come è el regno de Napoli al re di Spagna. Sono questi dominii cosí acquistati, o consueti a vivere sotto uno principe o usi ad essere liberi; et acquistonsi o con le arme d’ altri o con le proprie, o per fortuna o per virtú. (p. 85).

Todos os Estados, todos os domínios que tem havido e que há sobre os homens, foram e são repúblicas ou principados. Os principados ou são hereditários, cujo senhor é Príncipe pelo sangue, por longo tempo, ou são novos. Os novos são totalmente novos como Milão com Francesco Sforza, ou são como membros acrescentados a um Estado que um príncipe adquire por herança, como o reino de Nápoles ao rei da Espanha. êstes domínios assim adquiridos são, ou acostumados à sujeição a um príncipe ou são livres, e são adquiridos com tropas de outrem ou próprias, pela fortuna ou pelo mérito. (p.17).

 

 

El Principe di Niccoló Machiavelli. Texto crítico con introduzione e note. A Cura de Giuseppe Lisio. Firenze: G. C. Sansoni, Editore. 1899. Disponível em: <https://archive.org/details/ilprincipetestoc00machuoft/page/4>. Acesso em 16 jul. 2019.

MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. 5.ed. [Tradução, Prefácio e notas por: Lívio Xavier]. São Paulo: Atena Editora, 1960.

Bibliografia

Traduções Publicadas

FARRINGTON, Benjamin. A ciência grega, e o que significa para nós. [Por: Lívio Xavier e João Cunha de Andrade]. São Paulo: Ibrasa, 1961. (Greek Science: Its Meaning for Us; Part I; II). Obra teórica.

GAL, Roger. História da educação. [Por: Lívio Xavier]. São Paulo: DIFEL, 1958. (Histoire de l'éducation). Obra teórica.

GANDHI, Mahatma. Memórias: Histórias de minhas experiências com a verdade / Gandhi. [Por: Lívio Xavier]. Rio de Janeiro: José Olympio, 1945. (Gandhi - An Autobiography: The Story of My Experiments with Truth). Autobiografia /Memórias / Diário.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Enciclopédia das ciências filosóficas (3 vols.) [Por: Lívio Xavier]. São Paulo: Atena, 1936. (Enzyklopädie der philosophischen Wissenschaften) [A primeira tradução de uma obra integral de Hegel no Brasil]. Filosofia.

HULL, Edith Maude. A cativa do Saara. [Por: Lívio Xavier]. Coleção Paratodos. São Paulo: Editora Nacional, 1934. (The captive of the Sahara). Infanto-juvenil/Romance.

LUXEMBURGO, Rosa. Reforma ou revolução.[3] [Por: Lívio Xavier]. Série: Pensamento e Ação - Vol. V. São Paulo: Flama, 1946. (Social Reform or Revolution). Socialismo.

MACHIAVELLI, N. O Príncipe. [Por: Lívio Xavier]. São Paulo: Atena, 1940. (Il Principe). Tratado político.

MACHIAVELLI, N. Escritos políticos. [Por: Lívio Xavier]. Vol. XXXI. São Paulo: Atena, 1940.

MACHIAVELLI, Niccoló. O Príncipe e escritos políticos. [Por: Lívio Xavier].  São Paulo: Abril Cultural, 1973. (Il principe / Del modo di tratare i popoli della Valdichiana Ribellati). Tratado político.

POE, Edgar Allan. O poço e o pêndulo in Contos Norte-Americanos. [Por: Lívio Xavier]. Rio de Janeiro: Biblioteca Universal Popular, 1963. (“The Pit and the Pendulum”). Narrativa de ficção.

SPINOZA, Baruch de. Ética. [Por: Lívio Xavier]. São Paulo: Atena, 1937. (Ethica, ordine geometrico demonstrata). Filosofia.

TROTSKY, Leon. Minha vida (ensaio autobiográfico). [Por: Lívio Xavier]. Rio de Janeiro: José Olympio, 1943. (My Life - em russo Моя Жизнь). Autobiografia.

TROTSKY, Leon. Terrorismo e comunismo o Anti Kautsky. [Por: Lívio Xavier]. Coleção Ideias e fatos contemporâneos, vol. 21. Rio de Janeiro: SAGA, 1969. (Terrorism and Communism: A Reply to Karl Kautsky - em russo Терроризм и Коммунизм). Comunismo.

WELLEK, René. História da crítica moderna. [Por: Lívio Xavier]. 5 volumes. São Paulo: Herder, 1967. (A History of Modern Criticism 1750-1950). Crítica/História. 

 

Obra própria

XAVIER, Lívio. Infância na Granja. São Paulo: Massao Ohno, 1974. 

XAVIER, Lívio. O Elmo de Mambrino. Rio de Janeiro: José Olympio, 1975.

XAVIER, Lívio. Dez Poemas. Ilustrações de Noêmia Mourão. São Paulo: Massao Ohno, 1978.

XAVIER, Lívio. Correspondência com Mário Pedrosa. in: CASTILHO MARQUES NETO, José. Solidão Revolucionária, Mário Pedrosa e as origens do trotskismo no Brasil. São Paulo:  Paz e Terra, 1993.

MANTSÔ, L. Tempestade sobre a Ásia (a luta pela Mandckuria). São Paulo: Unitas, [1934?]. 

 

 


 

Notas

 

 

1. Informação obtida em: Verbete Lívio Xavier de Antonio Celso Ferreira In: Biblioteca digital UNESP / Livros / Lívio Xavier. Disponível em: <http://bibdig.biblioteca.unesp.br/handle/10/42>. Acesso em 20 dez. 2018.

2. Lívio Xavier em: Não gosto de Plágio. Disponível em: <http://naogostodeplagio.blogspot.com.br/search?q=L%C3%ADvio+Xavier>. Acesso em 12 jul. 2019.

3. Esta obra foi publicada posteriormente por outras editoras, como a Laemmert (1970) e a Civilização Brasileira (1975) com o título Reforma, revisionismo e oportunismo.

 

 

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.