Josely Vianna Baptista :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Josely Vianna Baptista

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Josely Maria Biscaia Vianna Baptista nasceu em Curitiba, em 1957. Cursou a graduação em Língua e Literatura Espanhola e Literatura Hispano-americana em 1979, a especialização em Semiótica em 1981, e o curso de Língua e Cultura Guarani em 1985, na Universidade Federal do Paraná. É poeta, tradutora e editora.

Em 1985 publicou sua primeira tradução, Os passos perdidos, de Alejo Carpentier. Desde então publicou mais doze traduções de romances, dentre os quais Paradiso, de José Lezama Lima,  A vida breve, de Juan Carlos Onetti, Lituma nos Andes, de Mario Vagas Llosa,  A neve do almirante e Ilona chega com a chuva, de Álvaro Mutis  e Contravida, Vigília do Almirante e uma adaptação para o cinema de Eu O Supremo, de Augusto Roa Bastos. Vários desses títulos foram indicados ao Prêmio Jabuti de Melhor Tradução. Traduziu também quatro livros de contos e seis de ensaios de autores como Guillermo Cabrera Infante, José Lezama Lima e Jorge Luis Borges.

Seu trabalho de tradutora deste último autor merece menção à parte: Josely Vianna Baptista participou do projeto de tradução e edição das Obras Completas de Borges com a tradução de doze títulos. Além de Atlas, livro de impressões de viagens em forma de poemas e textos curtos em prosa, e de Prólogos com um prólogo de prólogos, que reúne prefácios, incluem-se neste número nove títulos de poesia e um de ensaios, distribuídos entre os quatro volumes das Obras Completas. Os livros de poesia Lua defronte e Caderno San Martín e o livro de ensaios, Discussão, fazem parte do primeiro volume, que ganhou o Prêmio Jabuti de Melhor Tradução.

Em poesia, traduziu ainda quatro livros de autores diversos; entre eles, em colaboração com Francisco Faria, uma coletânea de poemas de autores latino-americanos e espanhóis que organizou e publicou em forma de livro - Musa Paradisíaca - após aparecerem no suplemento de poesia homônimo criado e editado pela tradutora para os jornais Gazeta do Povo (PR) e A Notícia (SC).

Além das traduções de Borges para as Obras Completas, editadas pela Globo, Josely Vianna Baptista publicou traduções pela Companhia das Letras, Ática, Iluminuras, Brasiliense e pela Mirabilia, da qual é editora.

Tem dois livros de poesia publicados no Brasil, Ar e Corpografia, um no México, Los poros flóridos, inédito em português, e um nos Estados Unidos, On the shining screen of the eyelids, que reúne parte substancial de sua obra. Participou também de projetos coletivos e organizou vários livros de poemas, inclusive alguns de poesia e mitologia indígenas, M'Byá Guarani e Nivacle, editados pela Tipografia do Fundo de Ouro Preto. Publicou ainda dois títulos de contos para crianças pela Mirabilia.

Verbete publicado em 17 de September de 2005 por:
Pablo Cardellino
Walter Carlos Costa

Excertos de traduções

Fragmento de A vida breve, de Juan Carlos Onetti. tradução de Josely Vianna Baptista:

............

Hablé lentamente, como si las cosas pudieran mejorarse eligiendo las palabras, como si no fuera ya visible la impaciencia en la pequeña boca redondeada.

............

Falei lentamente, como se as coisas pudessem melhorar se escolhesse as palavras, como se já não fosse visível a impaciência na pequena boca arredondada.

-Sólo quiero hablarle un momento -agregué-. Pero si la molesto...

- Só quero falar com você um instante - acrescentei. - Mas se estiver incomodando...

Entonces la Queca sonrió divertida, alzó y dejó caer una mano, se hizo a un lado para dejarme entrar. No sé si se burlaba al inclinar sonriente la cabeza. Llegó antes a la mesa, se apoyó en ella y me ofreció el sillón.

Então Queca sorriu, divertida, levantou uma das mãos e a deixou cair, pôs-se a um lado para me deixar entrar. Não sei se estava caçoando ao inclinar, sorridente, a cabeça. Chegou antes à mesa, apoiou-se nela e me ofereceu a poltrona.

-Sólo un momento -repetí, ya enfriado, arrepentido.

- Só um instante - repeti, já sem ânimo, arrependido.

Me miraba descansando contra la mesa, las manos escondidas detrás del cuerpo, repitiendo el gesto de bienvenida.

Ela me olhava apoiando-se na mesa, as mãos escondidas atrás do corpo, repetindo o gesto de boas-vindas.

-Pero siéntese -dijo-. ¿Quiere una copa? -murmuró rápidamente una excusa y caminó hasta la cocina. La puerta blanca quedó balanceándose.

-Mas sente-se - disse. - Quer beber alguma coisa? - Murmurou rapidamente uma desculpa e caminhou até a cozinha. A porta branca ficou balançando.

Moví la cabeza, fui anotando cada cambio de la habitación, recordé mu primera visita al departamento, la fisonomía del desorden, de la acumulada experiencia. Pero algún desconocido elemento continuaba imponiéndose, emanaba el mismo clima de alegría sin motivo, de artificio; la sensación de una vida fuera del tiempo y rescatable. Ella volvió sin prisa, relexiva, con un porrón de ginebra en una mano y dos copas en la otra. Los vidrios no tintinearon; también en silencio, la Queca acomodó las copas sobre la mesa y se inclinó para servir.

Movi a cabeça, fui anotando cada mudança do aposento, lembrei minha primeira visita ao apartamento, a fisionomia da desordem, da experiência acumulada. Mas algum elemento desconhecido continuava se impondo, emanava o mesmo clima de alegria sem motivo, de artifício; a sensação de uma vida fora do tempo e resgatável. Ela voltou sem pressa, reflexiva, com uma garrafa de gim numa das mãos e dois copos na outra. Os vidros não tilintaram; também em silêncio, Queca acomodou os copos sobre a mesa e se inclinou para servir.

-Siéntese, por favor. No me haga cumplidos -dijo sin mirarme.

- Sente-se, por favor. Não faça cerimônia - disse sem me olhar.

Traté de situar y valorar desde el sillón, el repentino matiz de hostilidad y grosería que descubrí en su voz.

Tentei situar e avaliar, da poltrona, o repentino tom de hostilidade e aspereza que descobri em sua voz.

-Así que lo conoce mucho a Ricardo -dijo, alcanzándome una copa.

- Quer dizer que conhece bem o Ricardo - disse, passando-me um copo.

-En un tiempo, sí. Fuimos muy amigos. ¿Está en Córdoba ahora?

- Em certa época, sim. Fomos muito amigos. Está em Córdoba agora?

-Nunca me habló de usted. ¿Arce, dijo? -alzó la copa sin dejar de mirarme-. No sé por dónde anda. Ni me interesa. Salud.

- Nunca me falou de você. Arce, você disse? - levantou o copo sem deixar de me olhar. - Não sei por onde anda. Nem me interessa. Saúde.

La devolví la copa vacía, me ofreció otra, dije que no. Reía mirándome, estirados hasta casi desaparecer los labios, sin dejar de mirarme, como si conociera mi pasado, mi ridículo, mi vida de una sola mujer y se burlara de todo eso, pero no de mí, llena de extrañeza y sin maldad.

Devolvi-lhe o copo vazio, ofereceu-me outro, disse que não. Ria, observando-me, os lábios esticados até quase desaparecer, sem tirar os olhos de mim, como se conhecesse meu passado, meu ridículo, minha vida de uma só mulher e zombasse de tudo isso, mas não de mim, repleta de estranhamento e sem maldade.

-Pero si éstas no son copas, son dedales... -dijo y volvió a esconder las manos detrás de las nalgas-. ¿Qué apuro tenemos? Porque le juro que si viene a sacar el tema de Ricardo no acabamos más. ¿Tenía que hablarme?

- Mas estes nem são copos, são dedais... - disse, e voltou a esconder as mãos atrás das nádegas. - Qual é o assunto? Porque juro que se veio para falar do Ricardo isso não vai ter fim. Você queria me dizer...?

Yo fracasaba cada vez que me proponía mezclarla con todo lo que había imposibilidad de confundir a la mujer de carne y hueso con la imagen formada por las voces y los ruidos, de la imposibilidad de conseguir la excitación que necesitaba extraer de ella, surgía hasta invadirme un creciente rencor, el deseo de vengar en ella y de una sola vez todos los agravios que me era imposible recordar. Y los agravios que habían formado a este hombre pequeño, ya no joven, desde los pies que llegaban justamente al suelo hasta la desproporcionada cabeza que ignoraba cómo perder el respeto a una prostituta.

Eu fracassava toda vez que tentava combiná-la com tudo que ouvira através da parede. "Esta boca fez e disse, esses olhos olharam, essas mãos tocaram"... e da impossibilidade de confundir a mulher de carne e osso com a imagem formada pelas vozes e pelos ruídos, da impossibilidade de obter excitação que precisava extrair dela, surgia em mim um crescente rancor, o desejo de vingar nela e de uma só vez todas as ofensas que eu conseguia lembrar. E as ofensas que tinham formado este homem pequeno, que já não era jovem, desde os pés, que chegavam justamente ao chão, até a cabeça desproporcional, que não sabia como perder o respeito com uma prostituta.

............

Juan Carlos Onetti. La vida breve. 6ª ed. especial. Buenos Aires: Sudamericana, 1999, pp.84-85. 1ª ed.: 1950.

............

Juan Carlos Onetti. A vida breve. São Paulo: Planeta do Brasil, 2004, pp.88-90.

"Soneto XIV", de William Shakespeare. Tradução de Josely Vianna Baptista:

Not from the stars do I my judgment pluck;
And yet methinks I have astronomy,
But not to tell of good or evil luck,
Of plagues, of dearths, or season's quality:

Nor can I fortune to brief minutes tell,
Pointing to each his thunder, rain, and wind,
Or say with princes if it shall go well,
By oft predict that I in heaven find:

But from thine eyes my knowledge I derive,
And (constant stars) in them I read such art,
As truth and beauty shall together thrive,

If from thyself to store thou wouldst convert:
     Or else of thee this I prognosticate;
     Thy end is truth's and beauty's doom and date.

Não está nas estrelas o meu tino;
Sei um pouco, porém, de astronomia,
Mas não para prever qualquer destino,
Ou o tempo, a miséria, a epidemia:

Não posso em um minuto dar a sorte,
A cada qual seu raio, ou chuva, ou vento,
Nem por indícios a que o céu me aporte,
Ao príncipe augurar feliz intento.

Leio em teus olhos meu saber inteiro;
E neles (astros fixos) há tal arte,
Que juntos crescem o belo e o verdadeiro,

Se o que te é dado não é posto à parte:
     Teu fim será, teus olhos dão-me o norte,
     Da beleza e verdade o termo e a morte.

(Shakespeare, William. "Sonnet XIV". In: The Complete Works of William Shakespeare (with the Temple Notes). Cleveland / New York: The World Publishing Company.).

(William Shakespeare. "Soneto XIV". [Por: Josely Vianna Baptista]).

Bibliografia

Traduções Publicadas

Baptista, Josely Vianna (Org.). Neblina vivificante: poesia e mito Mbyá-Guarani. [Por: Josely Vianna Baptista; Luli Miranda]. Coleção Cadernos da Ameríndia, v. 1. Ouro Preto: Tipografia do Fundo de Ouro Preto, 1996. Edição artesanal.

Baptista, Josely Vianna (Org.). Soninho com pios de periquitos ao fundo: canção de ninar Mbyá-Guarani. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Coleção Cadernos da Ameríndia, v. 2. Ouro Preto: Tipografia do Fundo de Ouro Preto, 1996. Edição artesanal.

Baptista, Josely Vianna (Org.). O amor entre os Nivacle. O mito Nasuc. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Coleção Cadernos da Ameríndia, v. 3. Ouro Preto: Tipografia do Fundo de Ouro Preto, 1996. Edição artesanal.

Bliesener, Klaus. Os detetives do farol. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Ática, 1996. (Schmuggler auf der fähre). Romance infanto- juvenil.

Bolívar, Simón. Escritos políticos. [Por: Josely Vianna Baptista; Jaques Mario Brand]. Campinas: Editora da Universidade de Campinas, 1992. (Escritos políticos). Ensaio. (Indicado para o Prêmio Jabuti de melhor tradução.)

Borges, Jorge Luis. O fazedor. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Obras completas, v. 2. São Paulo: Globo, 1999. (El hacedor). Poesia.

Borges, Jorge Luis. O ouro dos tigres. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Obras completas, v. 2. São Paulo: Globo, 1999. (El oro de los tigres). Poesia.

Borges, Jorge Luis. A rosa profunda. [Por: Josely Vianna Baptista]. In:   Obras completas, v. 3. São Paulo: Globo, 1999. (La rosa profunda). Poesia.

Borges, Jorge Luis. A moeda de ferro. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Obras completas, v. 3. São Paulo: Globo, 1999. (La moneda de hierro). Poesia.

Borges, Jorge Luis. História da noite. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Obras completas, v. 3. São Paulo: Globo, 1999. (Historia de la noche). Poesia.

Borges, Jorge Luis. A cifra. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Obras completas, v. 3. São Paulo: Globo, 1999. (La cifra). Poesia.

Borges, Jorge Luis. Atlas. [Por: Josely Vianna Baptista; Sergio Molina]. In: Obras completas, v. 3. São Paulo: Globo, 1999. (Atlas). Ensaio.

Borges, Jorge Luis. Os conjurados. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Obras completas, v. 3. São Paulo: Globo, 1999. (Los conjurados). Poesia.

Borges, Jorge Luis. Prólogos com um prólogo de prólogos. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Obras completas, v. 4. São Paulo: Globo, 1999. (Prólogos con un prólogo de prólogos). Prólogos.

Borges, Jorge Luis. Lua defronte. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Obras completas, v. 1. Org. Jorge Schwartz. São Paulo: Globo, 1998. (Luna de enfrente). Poesia. (Prêmio Jabuti de melhor tradução.)

Borges, Jorge Luis. Caderno San Martín. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Obras completas, v. 1. São Paulo: Globo, 1998. (Cuaderno San Martín). Poesia. (Prêmio Jabuti de melhor tradução.)

Borges, Jorge Luis. Discussão. [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Obras completas, v. 1. São Paulo: Globo, 1998. (Discusión). Ensaio. (Prêmio Jabuti de melhor tradução.)

Bracho, Coral. Rastros de luz. [Por: Josely Vianna Baptista]. Primeiro de Maio, PR: Mirabilia, 2004. (Huellas de luz). Poesia. Prêmio do Programa de apoyo a la traducción de obras mexicanas, do Fondo para la Cultura y las Artes del Gobierno de México.

Cabrera Infante, Guillermo. Vista do amanhecer no trópico. [Por: Josely Vianna Baptista; José Antônio Arantes]. São Paulo: Companhia das Letras, 1988. (Vista del amanecer en el trópico). Conto.

Cabrera Infante, Guillermo. Mea Cuba. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. (Mea Cuba). Ensaio.

Carpentier, Alejo. Os passos perdidos. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Brasiliense, 1985. (Los pasos perdidos). Romance.

Cortázar, Julio; Dunlop, Carol. Os autonautas da cosmopista. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Brasiliense, 1991. (Los autonautas de la cosmopista). Diário de viagem.

Cortázar, Julio et al. 16 contos latino-americanos. [Por: Josely Vianna Baptista; Mustafá Yazbek ]. São Paulo: Ática/UNESCO, 1992. (16 cuentos latinoamericanos). Conto.

Giucci, Guillermo. A conquista do maravilhoso: o Novo Mundo. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. (La conquista de lo maravilloso: el Nuevo Mundo). Tese.

Goytisolo, Luis. Rastro do fogo que se afasta. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Companhia das Letras, 1987. (Estela del fuego que se aleja). Romance.

Gupta, Damodara. Kuttanimatan - Sendas da Sedução. [Por: Josely Vianna Baptista; Alice Ruiz]. São Paulo: Olavobrás, 1987. (Los consejos de la Celestina: Kuttanimatam). Poesia.

Lezama Lima, José. A dignidade da poesia. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Ática, 1996. (La dignidad de la poesía). Ensaio.

Lezama Lima, José. Paradiso. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Brasiliense, 1986. (Paradiso). Romance. (Indicado para o Prêmio Jabuti de melhor tradução.)

Lezama Lima, José. Fugados. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Iluminuras, 1993. (Fugados). Conto. Trad. e posfácio. (Indicado para o Prêmio Jabuti de melhor tradução.)

López Sacha, Francisco (Org.). A Ilha contada: o conto contemporâneo em Cuba. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Página Viva, 1997. (La isla contada). Conto.

Molina, Sergio. Turismo e ecologia. [Por: Josely Vianna Baptista]. Bauru: Edusc, 2001. (Turismo y ecología). Livro técnico.

Molina, Sergio. Planejamento do espaço turístico. [Por: Josely Vianna Baptista]. Bauru: Edusc, 2001. (Planificación del espacio turístico). Livro técnico.

Mutis, Alvaro. A neve do almirante. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Companhia das Letras, 1990. (La nieve del almirante). Romance.

Mutis, Alvaro. Ilona chega com a chuva. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. (Ilona llega con la lluvia). Romance.

Onetti, Juan Carlos. A vida breve. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Planeta, 2004. (La vida breve). Romance. (Indicado para o Prêmio Jabuti de melhor tradução.)

Perlongher, Néstor (org.). Caribe Transplatino: poesia neobarroca cubana e rioplatense. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Iluminuras, 1991. Poesia. Edição bilíngue.

Perlongher, Néstor. Lamê. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Editora da Universidade de Campinas, 1994. Antologia poética. (Indicado para o Prêmio Jabuti de melhor tradução.)

Perlongher, Néstor. Evita vive. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Iluminuras, 2001. (Evita vive). Conto.

Piglia, Ricardo. "Borges: a arte de narrar." [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Schwartz, Jorge (Org.). Borges no Brasil. São Paulo: Edunesp, 2001. ("Borges: El arte de narrar"). Artigo.

Piglia, Ricardo. O laboratório do escritor. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Iluminuras, 1993. (El laboratorio del escritor). Entrevista e contos.

Roa Bastos, Augusto. Contravida. [Por: Josely Vianna Baptista]. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001. (Contravida). Romance.

Roa Bastos, Augusto. Vigília do Almirante. [Por: Josely Vianna Baptista]. Primeiro de Maio, PR: Mirabilia, 2003. (Vigilia del almirante). Romance. (Indicado para o Prêmio Jabuti de melhor tradução.)

Roa Bastos, Augusto. "Frente à frente argentina, frente à frente paraguaia". [Por: Josely Vianna Baptista]. In: O Livro da Guerra Grande. Rio de Janeiro: Record, 2002. ("Frente al frente argentino y frente al frente paraguayo". In: Los conjurados del Quilombo del Gran Chaco). Romance.

Roa Bastos, Augusto. Eu, O Supremo. [Por: Josely Vianna Baptista]. Curitiba: Sylvio Back Produções Cinematográficas, 1991. (Yo, el supremo). Sinopse do livro cinematográfico, baseado no romance homônimo.

Saunders, Rogelio. "Acerca do instante e do espaço". [Por: Josely Vianna Baptista]. In: Biscaia, Maria Angela. Mapas imaginários sobre Pedra d'água. Primeiro de Maio, PR: Mirabilia, 2004. ("Acerca del instante y del espacio (o del ser entendido como transparencia)"). Poema.

Sepúlveda, Luis. Um velho que lia romances de amor. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Ática, 1993. (Un viejo que leía novelas de amor). Romance infanto- juvenil. (Indicado para o Prêmio Jabuti de melhor tradução.)

Vargas Llosa, Mario. Lituma nos Andes. [Por: Josely Vianna Baptista]. São Paulo: Companhia das Letras, 1994. (Lituma en los Andes). Romance.

Vila-Matas, Enrique. Bartleby e companhia. [Por: Josely Vianna Baptista; Maria Carolina de Araújo]. São Paulo: Cosac Naify, 2004. (Bartleby y compañía). Romance.

Obra própria

Poesia

Baptista, Josely Vianna. AR. São Paulo: Iluminuras, 1991. Poesia.

Baptista, Josely Vianna. Corpografia. São Paulo: Iluminuras, 1992. Poesia. Desenhos de Francisco Faria.

Baptista, Josely Vianna. A Concha das Mil Coisas Maravilhosas do Velho Caramujo - histórias fantásticas da América e da Memória (fabulações para crianças). Coleção Broche de rubis. Primeiro de Maio, PR: Mirabilia / Curitiba: Fundação Cultural de Curitiba, 2000. Contos infantis. Ilust. Guilherme Zamoner. VI Prêmio Internacional del Libro Ilustrado Infantil y Juvenil, outorgado pelo Consejo Nacional para la Cultura y las Artes del Gobierno de México, em 2001.

Baptista, Josely Vianna; Antunes, Arnaldo; Biscaia, Maria Angela. Outro. Álbum de arte e poesia. Primeiro de Maio, PR: Mirabilia, 2001. Poesia.

Baptista, Josely Vianna. Los poros flóridos. [Por: Reynaldo Jiménez; Roberto Echavarren]. México: Aldus, 2002. Poesia.

Baptista, Josely Vianna. On the shining screen of the eyelids. Poesia reunida. [Por: Chris Daniels]. Berkeley (EUA): Manifest Press, 2003. Poesia. Prêmio do Creative Works Fund 2001, San Francisco.

Baptista, Josely Vianna. (Org.) Musa paradisíaca. [Por: Josely Vianna Baptista; Francisco Faria]. Primeiro de Maio, PR: Mirabilia, 2004. Poesia. Apresentação de Luis Dolhnikoff; Heloísa Buarque de Hollanda.

Baptista, Josely Vianna. "De penumbras, assombros e ruínas: 7 lendas votivas de Curitiba". In: Baptista, Vera Regina V. Ruínas de São Francisco: dois séculos de história e mito. Curitiba: Fundação Cultural de Curitiba, 2004. Ficção.

Poemas em coletâneas, revistas etc.

Motta, Leda Tenorio da (Org.). São Paulo. 30 postais poéticos. São Paulo: Núcleo de Projetos Literários/Centro Cultural SP/ Secretaria de Cultura, 1992.

Khouri, Omar; Miranda, Paulo (Orgs.). Artéria 6/ Quadradão. (poesia visual). São Paulo: Nomuque Edições, 1993.

Guilherme Mansur (Org.). Sol. Coletânea de poemas de Manoel de Barros, Augusto de Campos e outros. Tipografia do Fundo de Ouro Preto. Edição artesanal. 1994.

III Bienal Internacional de Poetas em Val-de-Marne. Desencontrários/Unencontraries. 6 poetas brasileiros. / 6 Brazilian poets. Val-de-Marne, França / Curitiba: III Bienal Internacional de Poetas em Val-de-Marne / Fundação Cultural de Curitiba,1995.

Bonvicino, Régis (Org.). Together 1996: um poema, vozes. São Paulo: Ateliê 1996. Renga com Haroldo de Campos, Robert Creeley, Norma Cole, Charles Bernstein, Régis Bonvicino, D. Messerli e outros.

Palmer, Michael; Bonvicino, Régis; Ascher, Nelson. Nothing the sun could not explain. 20 contemporary Brazilian poets. Los Angeles: Sun & Moon Press, 1997.

Triviño, Consuelo. Norte y sur de la poesía iberoamericana. Madrid: Verbum, 1997.

Baptista, Josely Vianna. "Los poros floridos". In: Serta Revista Iberorrománica, n. 1. "Poesía y pensamiento poético". Madrid: UNED, 1996.

Baptista, Josely Vianna. "Florid pores" [Por: Michael Palmer.]. In: Boxkite A journal of poetry & poetics, n. 1. Sydney: The Poetics Foundation, 1997.

Nestrovski, Arthur (Org.). Oito poemas para Décio Pignatari. São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1998. Com Augusto de Campos, Haroldo de Campos e Sebastião Uchoa Leite, entre outros.

Hollanda, Heloísa Buarque de (Org.). Esses poetas. Uma antologia dos anos 90. Rio de Janeiro: Aeroplano, 1998.

Bernstein, Charles (Ed.). 99 Poets / 1999 An international poetics symposium. Durham, NC (EUA): Duke University Press, 1999. Número especial da boundary 2.

Baptista, Josely Vianna. "Medusário: uma abordagem sobre poéticas contemporâneas". In: Medusa, n. 10. Curitiba: FCC/Iluminuras, abril-maio 2000.

Baptista, Josely Vianna. "Pindorama: mostra de poesia contemporânea brasileira". In: Jiménez, Reynaldo (Org.). Tsé-tsé, nº 7/8. Buenos Aires: Tsé-tsé.2000.

Baptista, Josely Vianna. "chill pre-dawn"; "REFRAKTON"; "INFINITS"; "invisible the zenith"; "and on the ocean"; "IMAGES OF THE FLOATING WORLD". [Por: Chris Daniels]. In: Syllogism, n. 3. Berkeley, Manifest Press, 2000.

Bonvicino, Régis; Melo, Tarso de (Orgs.). New American Writing, n. 18: Lies about the truth: 14 Brazilian Poets. Nova York, New American Writing, 2000.

Baptista, Josely Vianna. "Moradas provisórias". In: Hipnerotomaquia, n. 1. México D.F, Aldus, 2001.

Ponte, Antonio. Diez poetas de Brasil. [Por: Antonio Ponte]. Havana, Revista Unión. 2001.

Montejo Navas, Adolfo. Correspondencia Celeste: Nueva Poesía Brasileña (1960-2000). Barcelona: Árdora, 2001.

Barbosa, Frederico. Na virada do século: Antologia de poesia brasileira contemporânea. São Paulo: Landy, 2002.

Baptista, Josely Vianna. "Poemas". In: More ferarum. Revista de poesia contemporânea. Lima, jun-2002.

Baptista, Josely Vianna. "O peregrino imóvel de Havana Velha". In: Hipnerotomaquia, n. 2. México: Aldus, 2002.

Baptista, Josely Vianna; Antunes, Arnaldo. Chain, n. 9. Dialogues. Universidade do Havaí. Número especial subsidiado pelo National Endowment for the Arts, EUA, 2002.

Süssekind, Flora; Dias, Tânia; Azevedo, Carlito. Vozes femininas gênero, mediações e práticas de escrita. Rio de Janeiro: 7Letras / Fundação Casa de Rui Barbosa, 2003.

Claudio Daniel. Jardim de Camaleões a poesia neobarroca na América Latina. São Paulo: Iluminuras, 2004.

Rattapallax, n. 10. Nova York: Rattapallax Press, 2003.

Olhar, n. 5. Revista da Universidade de São Carlos. Encarte especial em homenagem a Haroldo de Campos. São Carlos, 2003.

Jahn, Heloísa (Org.). Boa companhia: poesia. (Antologia de poesia brasileira contemporânea). São Paulo: Companhia das Letras, 2003. Apresentação de Ferreira Gullar.

Chain, N. 10, Translucination. Universidade do Havaí, 2003.

Sibila. Revista de arte e poesia, n. 5. São Paulo: Ateliê, 2003.

Baptista, Josely Vianna. "Roça Barroca". In: Pécora, Alcir (Org.). Revista C&C. n. 4, ano 56. São Paulo: SBPC, 2004.

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.