Geraldo Holanda Cavalcanti :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Geraldo Holanda Cavalcanti

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Diplomata, poeta, ensaísta e tradutor, Geraldo Egídio da Costa Holanda Cavalcanti nasceu em Recife, Pernambuco, em 6 de fevereiro de 1929. Graduou-se Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito de Recife, em 1951.

Diplomata por mais de quatro décadas, profissão a que dedicou maior parte de seu tempo, serviu nos Consulados Gerais em Genebra e Hong Kong e nas Embaixadas em Washington, Moscou e Bonn. Foi Embaixador do Brasil junto à UNESCO (Paris, 1978-1981), ao governo do México, (México, 1982-1986), e à União Europeia (Bruxelas, 1987-1991). Terminada sua carreira, foi Presidente da Ericsson Telecomunicações do Brasil, em São Paulo. Em 1993 voltou a colaborar com o Governo como Representante Pessoal do Presidente da República em diversas missões internacionais, entre as quais o Grupo de Chefes de Estado e de Governo de Apoio ao Multilateralismo. Em 1996, foi eleito Secretário Geral da União Latina(1997-2000), organismo internacional sediado em Paris e dedicado à defesa e promoção das línguas e valores culturais dos países latino-americanos. Concomitante à função diplomática, exerceu outras atividades, entre as quais, a chefia da primeira Divisão de Contratos e Convênios do então BNDE, a do Escritório do antigo Instituto Brasileiro do Café, sediado em Nova York, e a de Presidente do Conselho Indigenista Interamericano, com sede no México.

Estimulado por amigos como João Cabral de Mello Neto, Guimarães Rosa e José Guilherme Merquior, desde cedo se pôs em contato com as letras, publicando em 1964 seu primeiro livro, O mandiocal de verdes mãos, ao qual se seguiram duas plaquetes O elefante de Ludmila e A palavra, ambas reproduzidas posteriormente em números especiais da revista Tempo Brasileiro. Em 1998 foi publicada sua Poesia Reunida, que traz textos inéditos e outros já divulgados em diversas publicações periódicas.

Holanda Cavalcanti começou a traduzir textos poéticos enquanto dava forma à sua poesia. Embora suas primeiras traduções não fossem destinadas à publicação, iniciou vertendo, ao princípio dos anos oitenta, alguns poemas dos poetas e amigos Álvaro Mutis e Octavio Paz. Esse primeiro contato com a tradução, no entanto, o levou a realizar, nos últimos anos, um grande projeto de tradução com o propósito de trazer para o português os maiores nomes da poesia italiana do século XX, tais como Eugenio Montale, Salvatore Quasimodo, Giuseppe Ungaretti e Umberto Saba. É tradutor igualmente do colombiano Álvaro Mutis e do mexicano Carlos Pellicer. Em 2006, a convite da Editora Escritório do Livro, publicou suas Memórias de um tradutor de poesia, depoimento que oferece uma mostra de seus caminhos e escolhas enquanto tradutor.

Pela obra como poeta recebeu, no ano 2000, o Prêmio Fernando Pessoa, da União Brasileira de Escritores. Por seu trabalho como tradutor recebeu, na Itália, em 1998, o Premio Internazionale Eugenio Montale. No ano seguinte, recebeu o Prêmio Paulo Rónai de Tradução, da Fundação Biblioteca Nacional, pela antologia bilíngue de Salvatore Quasimodo, e em 2006, o Prêmio de Tradução da Academia Brasileira de Letras pelo ensaio-literário e tradução de O Cântico dos Cânticos.

Atualmente residindo no Rio de Janeiro, Holanda Cavalcanti exerce a presidência do PEN Clube do Brasil e a vice-presidência da Fundação Miguel de Cervantes de apoio à Pesquisa e à Literatura, da Biblioteca Nacional. É membro do Conselho Editorial da Revista Poesia Sempre, da Fundação Biblioteca Nacional, e do Conselho de Desenvolvimento da Cátedra de Leitura UNESCO/PUC-Rio. Continua trabalhando na tradução de poetas italianos do século XX.

Em 2007 lançou, pela Record,  seu primeiro livro de ficção, Encontro em Ouro Preto, finalista do Prêmio Jabuti 2008 na categoria "Melhor Livro de Contos e Crônicas".

Verbete publicado em 4 de May de 2007 por:
Gleiton Lentz
Andréia Guerini

Bibliografia

Traduções Publicadas

Montale, Eugenio. Poesias. [Por: Geraldo Holanda Cavalcanti]. Rio de Janeiro: Record, 1997.

Mutis, Alvaro. Poesias. [Por: Geraldo Holanda Cavalcanti]. Rio de Janeiro: Record, 2000.

Quasimodo, Salvatore. Poesias. [Por: Geraldo Holanda Cavalcanti]. Rio de Janeiro: Record, 1999.

Ungaretti, Giuseppe. A Alegria. [Por: Geraldo Holanda Cavalcanti]. Rio de Janeiro: Record, 2003. (L'Allegria)

Antologias

Pellicer, Carlos. Antologia poética. [Por: Geraldo Holanda Cavalcanti et al.]. Recife: En Sol, 2005.

Ensaios

Cavalcanti, G. H. O Cântico dos Cânticos - ensaio de interpretação através de suas traduções. São Paulo: EDUSP, 2005.

Obra própria

Poesia

Cavalcanti, G. Holanda. O mandiocal de verdes mãos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1964.

Cavalcanti, G. Holanda. O elefante de Ludmila. Moscou: Ed. do Autor, 1965.

Cavalcanti, G. Holanda. A palavra. Moscou: Ed. do Autor, 1965.

Cavalcanti, G. Holanda. Poesia Reunida. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional/Bertrand Brasil, 1998.

Antologia

Cavalcanti, G. Holanda. et al. Coletânea Poética - vol. 1. Recife: Fundação de Cultura da cidade do Recife, 2003. (Antologia com poetas pernambucanos)

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.