Fernando Mendes Vianna :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Fernando Mendes Vianna

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Luiz Fernando de Sá Mendes Vianna, poeta e tradutor de poesia, nasceu no Rio de Janeiro em 09 de fevereiro de 1933. Filho de diplomata, viveu em diversos países da América do Sul e da Europa. Passou a sua infância na Argentina e no Chile. Esteve interno em Minho, Portugal, de 1944 a 1946 e em Fribourg, na Suíça Francesa, em 1947. Nessa época passava as férias em Madrid, onde seu pai estava. Também é dessa época seu primeiro contato com Álvaro de Campos, Lorca e Baudelaire, poetas de sua grande admiração. Terminou os estudos no Rio de Janeiro. Com 19 anos voltou a Europa e conheceu França, Bélgica, Itália e Alemanha, onde viveu por um ano. Retorna definitivamente ao Brasil em 1954. Em 1959, no Rio de Janeiro, assume a função de Redator de Anais e Documentos Parlamentares do Senado Federal. Em 1961 transferiu-se para Brasília, ainda como funcionário do Senado Federal. Em 1964 formou-se em Direito pela Universidade Católica de Petrópolis, mas não exerceu a profissão.

Mendes Vianna foi membro da Associação Nacional de Escritores, da Academia Brasiliense de Letras e da Academia de Letras do Brasil, e ex-presidente do Sindicato dos Escritores do Distrito Federal, que ajudou a fundar. Nas comemorações do Centenário do Nascimento do poeta Vicente Huidobro (1993), representou o Brasil e foi o único poeta a ler um poema de Huidobro em sua tumba.

Recebeu em 1958, com 25 anos, a Menção Honrosa do Prêmio Quixote do Rio Grande do Sul com Marinheiro no Tempo e Construção no Caos – seu primeiro livro de poemas – e em 1960 a Menção Honrosa do Prêmio Olavo Bilac, da Prefeitura do antigo Distrito Federal. Em 1964 Proclamação do Barro foi escolhido por um grupo de críticos como um dos dez melhores livros de poesia do ano. Recebeu da Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Rio de Janeiro, por duas vezes, o Troféu Casimiro de Abreu, no I e II Torneio Nacional da Poesia Falada de Niterói, em 1969 e 1970. Em 1972 sua obra O Silfo-Hipogrifo mereceu o Prêmio Literário Nacional de Poesia, do Instituto Nacional do Livro/MEC, na categoria inéditos. Em 1987, com a antologia Marinheiro no Tempo, ganhou o Prêmio Literário Nacional do Instituto Nacional do Livro/MEC na categoria de obra publicada. E em 2001, com a tradução de Poetas do Século de Ouro Espanhol, ganhou o Prêmio Joaquim Norberto da União Brasileira de Escritores.

Fernando Mendes Vianna faleceu em Brasília, DF, no dia 10 de setembro de 2006.

 

 

 

Verbete publicado em 2 de April de 2010 por:
Andréa Cesco

Bibliografia

Traduções Publicadas

Poemas do Antigo Egito. [Por: Fernando Mendes Vianna]. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura, Serviço de Documentação, 1965. (poesia).

Quevedo y Villegas, Francisco de. Sonetos de Amor e de Morte. [Por: Fernando Mendes Vianna, seleção e tradução]. Introdução de Manuel Morillo Caballero. Edição bilíngue com 110 sonetos. Brasília: Consejería de Educación y Ciencia de la Embajada de España en Brasil, 1999. (poesia).

Poetas do Século de Ouro Espanhol. [Por: Anderson Braga Horta; Fernando Mendes Vianna; José Jeronymo Rivera]. Edição Bilíngue. Brasília: Thesaurus, 2000. (poesia).

Hugo, Victor. Victor Hugo - Dois Séculos de Poesia. [Por: Anderson Braga Horta; Fernando Mendes Vianna; José Jeronymo Rivera]. Brasília: Thesaurus, 2002. (poesia)

Hugo, Victor. O Sátiro e Outros Poemas. [Por: Anderson Braga Horta; Fernando Mendes Vianna; José Jeronymo Rivera]. Rio de Janeiro: Galo Branco, 2002. (poesia).

Antologia Poética Ibero-Americana. [Por: Anderson Braga Horta; Fernando Mendes Vianna; José Jeronymo Rivera]. Organização de Gustavo Pavel Égüez. Cuiabá: Asociación de Agregados Culturales Iberoamericanos, 2006. (poesia).

Obra própria

Vianna, Fernando Mendes. Marinheiro no Tempo e Construção no Caos. Rio de Janeiro: Simões, 1958. (poesia).

Vianna, Fernando Mendes. A Chave e a Pedra. Rio de Janeiro: São José, 1960. (poesia)

Vianna, Fernando Mendes. Proclamação do Barro. Apresentação de José Guilherme Merchior. Rio de Janeiro: José Álvaro, 1964. (poesia).

Vianna, Fernando Mendes. Salmo para Órgão e Orquestra. Separata da revista de cultura Vozes. Petrópolis, dezembro de 1969. (poesia).

Vianna, Fernando Mendes. O Silfo-Hipogrifo. Prefácio de Tristão de Athayde. Rio de Janeiro: José Olympio/MEC, 1972. (poesia).

Vianna, Fernando Mendes. Embarcado em Seco. Apresentação de Moacyr Félix. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira/MEC, 1978. (poesia).

Vianna, Fernando Mendes. Poesia Viva. Poemas inéditos selecionados por Moacyr Félix. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979. (poesia).

Vianna, Fernando Mendes. Proclamação do Barro. 2ª edição revista e reduzida. Rio de Janeiro: Civlização Brasileira/MEC, 1983. (poesia).

Vianna, Fernando Mendes. Cadernos de Literatura 1. A poesia de Fernando Pessoa. Seleção de poemas e texto da contracapa. Estudo introdutório de Santiago Naud. Brasília: Thesaurus, 1986.

Vianna, Fernando Mendes. Marinheiro no Tempo (Antologia 1956-1986). Prefácio de Anderson Braga Horta. Brasília: Thesaurus, 1986. (poesia).

Vianna, Fernando Mendes. Antologia Pessoal. Brasília: Thesaurus, 2001. (poesia).

Vianna, Fernando Mendes. A Rosa Anfractuosa. Brasília: Thesaurus, 2004. (poesia).

Vianna, Fernando Mendes. Oratório do corpo. Livro na Rua. Série Escritores Brasileiros Contemporâneos, nº 3. Brasília: Thesaurus, 2004. (poesia).

 

 

Obra traduzida

Espanhol

Oliveira, Marly de; Mendes Vianna, Fernando. Poemas. [Por: Manuel Moreno Jimeno; Ricardo González Vigil]. Introdução de Ricardo González Vigil. Lima (Peru): Centro de Estudios Brasileños, 1979.

Vianna, Fernando Mendes. ¡Ah! [Por: Fernando Mendes Vianna e Ángela Ibáñez]. Série El Último Parnaso, nº 18. Zaragoza (Espanha): Asociación Cultural El Último Parnaso, 1998.

 

 

Obra em livros, revistas e antologias

A Nova Poesia Brasileira. [Por: Alberto da Costa e Silva]. Lisboa, 1960.

A Novíssima Poesia Brasileira. [Por: Walmir Ayala]. Rio de Janeiro, 1962.

Violão de Rua III. [Por: Moacyr Fix]. Civilização Brasileira, 1963.

Revista de Cultura Brasileña. Tomo III, número 10. Tradução de Ángel Crespo. Madrid: Embajada del Brasil, outubro 1964.

Antologia dos poetas brasileiros. [Por: Bandeira e Ayala]. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1966.

Uma pedra no caminho. [Por: Carlos Drummond de Andrade]. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1967.

Young Poetry of the Americas. Volume I. Washington, USA: Pan American Union, General Secretariat of the OAS, 1968.

Canto Melhor. [Por: Manuel Sarmento Barata]. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969.

II Torneio Nacional de Poesia Falada. Rio de Janeiro: Departamento de Difusão Cultural da Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Rio, 1969.

III Torneio Nacional de Poesia Falada. Rio de Janeiro: Departamento de Difusão Cultural da Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Rio, 1970.

Antologia dos poetas de Brasília. [Por: Joanyr de Oliveira] Brasília: Coordenada, 1971.

Brasília na Poesia Brasileira. [Por: Joanyr de Oliveira]. Rio / Brasília: Cátedra / INL, 1982.

Cuatro siglos de poesía brasileña. Tradução de Jaime Tello. Caracas: Centro Abreu e Lima de Estudios Brasileños; Instituto de Altos Estudios de América Latina- Universidad Simón Bolívar, 1983.

Poeti Brasiliani Contemporaneia. [Por: Silvio Castro] Tradução de Giampaolo Tonini.Veneza: Centro Internzionale della Grafica di Venezia, 1997.

Pentagrama. Anderson Braga Horta... [et al.]. Brasília: Thesaurus, 2001.

Coleção Roteiro da Poesia Brasileira: anos 50. [Por: André Seffrin]. São Paulo: Editora Global, 2007.

Tributo ao poeta. [Por: Bilioteca Nacional de Brasília] Autores homenageados: Anderson Braga Horta, Carlos Vogt, Cassiano Nunes, Fernando Mendes Vianna, João Cabral de Melo Neto, Joaquim Cardozo, José Godoy Garcia, José Santiago Naud, Marly de Oliveira. Brasília: Thesaurus, 2008.

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.