Estela dos Santos Abreu :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Estela dos Santos Abreu

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Estela dos Santos Abreu nasceu em Santos, São Paulo, em 30 de abril de 1932. Foi professora, de 1975 a 1996, na área de Sociologia da Educação, Metodologia da Pesquisa e Produção do Texto Científico, na Fundação Getúlio Vargas (RJ) e na Universidade Federal Fluminense. É Bacharel em Direito (1958) pela Faculdade de Direito de Santos e Doutora em Ciências da Educação pela Universidade da Sorbonne-Paris V.

Nos 10 anos em que morou em Paris, Estela fez várias traduções e versões para colegas e amigos que preparavam teses, livros, entrevistas. Depois do Doutorado, traduziu o primeiro livro. Desde 1978, retorna anualmente para contatos com editoras.

Conviveu e aprendeu com mestres como Pierre Hawelka, Paulo Rónai, Antônio Houaiss, Waldívia Portinho. Recebeu o prêmio de Tradução da Biblioteca Nacional em 1995. Entre suas diversas traduções destacam-se as obras de Jules Verne.

Verbete publicado em 18 de August de 2005 por:
Narceli Piucco
Marie-Hélène Catherine Torres

Excertos de traduções

Fragmento de Ilha da chuva e do vento, romance de Simone Schwarz-Bart. Tradução de Estela dos Santos Abreu.

Le pays dépend bien souvent du cœur de l'homme: il est minuscule si le cœur est petit, et immense si le cœur est grand. Je n'ai jamais souffert de l'exigüité de mon pays, sans pour autant prétendre que j'aie un grand cœur. Si on m'en donnait le pouvoir, c'est ici même, en Guadeloupe, que je choisirais de renaître, souffrir et mourir. Pourtant, il n'y a guère, mes ancêtres furent esclaves en cette île à volcans, à cyclones et moustiques, à mauvaise mentalité. Mais je ne suis pas venue sur terre pour soupeser toute la tristesse du monde. À cela, je préfère rêver, encore et encore, debout au milieu de mon jardin, comme le font toutes les vieilles de mon âge, jusqu'à ce que la mort me prenne dans mon rêve, avec toute ma joie...

Dans mon enfance, ma mère Victoire me parlait souvent de mon aïeule, la négresse Toussine. Elle en parlait avec ferveur et vénération, car, disait-elle, toute éclairée par son évocation, Toussine était une femme qui vous aidait à ne pas baisser la tête devant la vie, et rares sont les personnes à posséder ce don. Ma mère la vénérait tant que j'en étais venue à considérer Toussine, ma grand-mère, comme un ètre mythique, habitant ailleurs que sur terre, si bien que toute vivante elle était entrée, pour moi, dans la légende. (p. 11)

A terra depende quase sempre do coração do homem: é minúscula se o coração for pequeno, é imensa se o coração for grande. A pequenez da minha terra nunca me afligiu, mas nem por isso tenho a pretensão de possuir um grande coração. Se pudesse escolher, seria aqui mesmo na Guadalupe que eu gostaria de nascer, sofrer e morrer. E, no entanto, não há muito, meus avós ainda eram escravos nesta ilha de vulcões, de ciclones e mosquitos, de mentalidades estreitas. Mas não vim ao mundo para sopesar toda a tristeza da terra. Em vez disso, prefiro sonhar, mais e mais, de pé no meio do meu quintal, como costumam fazer todas as velhas da minha idade, até que a morte me apanhe em meu sonho, na plenitude da minha alegria...

Quando eu era pequena, minha mãe Victoire sempre me falava de minha avó, a negra Toussine. Falava com fervor e veneração, e, iluminando-se com tal lembrança, afirmava que Toussine era a mulher que ajudava qualquer um a não baixar a cabeça diante da vida, e raros são os que possuem esse dom. Minha mãe a venerava tanto que acabei por considerar a avó Toussine um ser mítico, morando para lá do mundo, e, embora ainda viva, era para mim uma espécie de lenda.

 

 

Schwarz-Bart, Simone. A ilha da chuva e do vento. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Marco Zero, 1986. p. 9. (Pluie et vent sur Telumée Miracle).

Bibliografia

Traduções Publicadas

Ficção

Aznavour, Charles & Balducci, Richard. Nas veredas da amizade. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Scipione Cultural, 1998. (La balade espagnole).

Bataille, Christophe. Absinto. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996. (Absinthe).

Bataille, Christophe. Annam. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: Contraponto, 1995. (Annam).

Depestre, René. Adriana em todos os meus sonhos. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996. (Hadriana dans tous mes rêves).

Depestre, René. O pau de sebo. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Marco Zero, 1983. (Le mat de cocagne).

Giono, Jean. A serpente de estrelas. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: Contraponto, 1995. (Le serpent d'étoiles).

Jardin, Alexandre. Cibermãe: uma viagem extraordinária dentro do computador. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Moderna, 1998. (Cybermaman: le voyage extraordinaire au centre d'un ordinateur).

Labro, Philippe. A travessia. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Globo, 1997. (La traversée).

Lamaison, Didier. Édipo rei. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Moderna, 1998. (Oedipe roi).

Louys, Pierre. Esse obscuro objeto do desejo. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Marco Zero, 1984. (La femme et le pantin).

Lucheni, Luigi. História de um menino abandonado no fim do século XIX contada por ele mesmo. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Memórias do assassino da imperatriz Sissi. Lisboa: Contexto, 1998. (Histoire d'un enfant abandonné à la fin du XIX siècle racontée par lui-même).

Verne, Jules. O segredo de Guilherme Storitz. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Scipione Cultural, 1998. (Le Secret de Wilhelm Storitz).

Verne, Jules. O tio Robinson. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Scipione Cultural, 1994. (L'oncle Robinson).

Verne, Jules. San Carlos e outros contos. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Scipione Cultural, 1997. (San Carlos et autres recits inédits).

Verne, Jules. Um padre em 1839. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Scipione Cultural, 1996. (Un prêtre en 1839).

Schwarz-Bart, Simone. A ilha da chuva e do vento. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Marco Zero, 1986. (Pluie et vent sur Telumée Miracle).

Schwarz-Bart, Simone. Aleluia para uma mulher-jardim. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: José Olympio, 1988. (Alleluia pour une femme-jardin).

Não-ficção

Aumont, Jacques. A imagem. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Campinas: Papirus, 1993. (L'image).

Bachelard, Gaston. A formação do espírito científico. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996. (La formation de l'esprit scientifique).

Bachelard, Gaston. Ensaio sobre o conhecimento aproximado. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: Contraponto, 2004. (Essai sur la connaissance approchée).

Barbier, René. A pesquisa-ação na instituição educativa. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985. (La recherche-action dans l'institution éducative).

Baudrillard, Jean. A transparência do mal. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Campinas: Papirus, 1990. (La Transparence du Mal).

Debord, Guy. A sociedade do espetáculo. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997. (La société du spectacle).

Goblot, Edmond. A barreira e o nível. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Campinas: Papirus, 1989. (La barrière et le niveau).

Gorz, André. Crítica da divisão do trabalho. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Martins Fontes, 1980. (Critique de la division du travail).

Jacques, Paola Berenstein (Org.). Apologia da deriva: escritos situacionistas sobre a cidade. Internacional Situacionista. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003.

Kojève, Alexandre. Introdução à leitura de Hegel. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Rio de Janeiro: Contraponto, 2002. (Introduction à la lecture de Hegel).

Laborit, Henri. Deus não joga dados. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Trajetória Cultural, 1988. (Dieu ne joue pas aux dés).

Lecourt, Edith. Freud e o universo sonoro. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Goiânia: UFG, 1997. (Freud et l'univers sonore).

Lojkine, Jean. O Estado capitalista e a questão urbana. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Martins Fontes, 1981. (Le marxisme, l'état et la question urbaine).

Salama, Pierre. O processo de subdesenvolvimento. [Por: Estela dos Santos Abreu]. Petrópolis: Vozes, 1976. (Un procès de sous-développement: le cas de l'Amérique Latine).

Sassier, Martine & SASSIER, Daniel & KOENIG, Viviane. Minha primeira enciclopédia. [Por: Estela dos Santos Abreu]. São Paulo: Moderna, 1994. (Ma première Encyclopedie).

Obra própria

Abreu, Estela dos Santos; Lacerda, Helena da Rosa Cortez de & Lacerda, Roberto Cortez de. Dicionário de Provérbios Francês-Português-Inglês 2. ed. rev. e ampl. São Paulo: Unesp, 2004.

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.