Christian Luiz Melim Schwartz :: DITRA - Dicionário de tradutores literários no Brasil :: 
Dicionário de tradutores literários no Brasil


Christian Luiz Melim Schwartz

Perfil | Excertos de traduções | Bibliografia

Nascido em Curitiba, Paraná, em 03 de junho de 1975, Christian Luiz Melim Schwartz assina suas traduções como Christian Schwartz. É bacharel em Comunicação Social (1997) pela Universidade Federal do Paraná. Especializou-se em Literatura Inglesa (2003) pela University of Central England (atual Birmingham City University) em Birmingham, Inglaterra, período em que também estudou a língua e a literatura francesa na Université Paris IV (Paris-Sorbonne), na França. Em seu mestrado em Estudos Literários (2007), pela Universidade Federal do Paraná, investigou as relações entre história, ficção e ideologia no romance inglês What a Carve Up!, em portuguêsO legado na família Winshaw”, do autor Jonathan Coe. É doutor em História Social (2014) pela Universidade de São Paulo, com estadia de pesquisa (2013) na Univeristy of Cambridge.

Começou sua vida profissional como jornalista em 1996, trabalhando como assessor de imprensa. Atuou como repórter por seis anos para diferentes revistas e rádios (entre elas, a CBN, a revista Placar e a revista Veja). Foi contemplado em 1997 com o II Prêmio Sangue Novo no Jornalismo Paranaense, pelo Sindicato dos Jornalistas do Paraná, e em 2001 com o Prêmio Reuters de Jornalismo Ambiental, pela Reuters/The World Conservation Union (IUCN).

Em 2002, iniciou sua formação na área da literatura. Atuou como entrevistador e mediador em eventos de literatura sabatinando diversos escritores brasileiros e estrangeiros. Entre 2002 e 2004, período de sua especialização no exterior, trabalhou como intérprete e tradutor freelancer, além de ministrar aulas de língua portuguesa.

Traduz a partir do inglês, mas também domina o francês e compreende o italiano, o espanhol e o alemão. Colabora com a Companhia das Letras e o Grupo Editorial Record desde 2008, traduzindo principalmente obras de ficção. Entre os autores traduzidos por Christian Schwartz estão F. Scott Fitzgerald, Nathaniel Hawthorne, Mary Shelley, Nick Hornby e Jonathan Coe.

Foi professor de Jornalismo e Produção de Texto na Faculdades ESEEI (2002-2006), em Curitiba. É professor da Universidade Positivo desde 2005, onde ministra disciplina “Tradução Cultural”, e da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) na especialização em Literatura Brasileira & História Nacional. Ministra o curso “Oficina Livre de Tradução”, na Escola de Escrita, em Curitiba.

Verbete publicado em 19 de May de 2017 por:
Fabricio Leal Cogo
Patrícia Rodrigues Costa
Walter Dias da Costa Filho
Marie-Hélène Catherine Torres

Excertos de traduções

Excerto de A chuva antes de cair, de Jonathan Coe. Tradução de Christian Schwartz.

When the telephone rang Gill was outside, raking the leaves into coppery piles, while her husband shoveled them on to a bonfire. It was a Sunday afternoon in late autumn. She ran into the kitchen when she heard its shrilling, and immediately felt the warmth of inside enfold her, not having realized, until then, how chilly the air had become. There would most likely be a frost that night.

Quando o telefone tocou, Gill estava no quintal amontoando pilhas de folhas amareladas, enquanto seu marido alimentava a fogueira com elas. Era uma tarde de domingo no final do outono. Ela correu para a cozinha ao ouvir o telefone e imediatamente sentiu o calor ali dentro envolvê-la, sem ter se dado conta, até então, de como o ar lá fora estava frio. Era muito provável que geasse naquela noite.

Afterwards, she walked back up the path towards the little bonfire, from which blue-grey smoke was spiraling into a sky already beginning darken.

Depois, fez o caminho de volta até a pequena fogueira, da qual subia uma fumaça azul-acinzentada e espiralada em direção ao céu que já começava a escurecer.

Stephen turned as he heard her approach. He saw bad news in her eyes, and his thoughts flew, at once, to their daughters: to the imagined dangers of central London, to bombs, to once-routine tube and bus journey suddenly turned into wagers with life and death.

Stephen virou-se ao ouvi-la se aproximar. Ele viu más notícias nos olhos dela, e seus pensamentos voaram, de imediato, para as filhas: para os supostos perigos de Londres, para bombas, para o que um dia fora a rotina dos deslocamentos em metrôs e ônibus, de repente transformada em apostas de vida e morte.

 

COE, Jonathan. The Rain Before It Falls. Nova Iorque: Viking Press, 2007.

 

COE, Jonathan. A Chuva Antes de Cair. Tradução de: Christian Schwartz. Rio de Janeiro: Record, 2009.

Excerto de Alta fidelidade, de Nick Hornby. Tradução de Christian Schwartz.

MY desert-island, all-time, top five most memorable split-ups, in chronological order:

Em ordem cronológica, meus cinco términos de namoro mais memoráveis de todos os tempos, aqueles que eu levaria pra uma ilha deserta:

1. Alison Ashworth

2. Penny Hardwick

3. Jackie Allen

4. Charlie Nicholson

5. Sarah Kendrew.

1. Alison Ashworth

2. Penny Hardwick

3. Jackie Allen

4. Charlie Nicholson

5. Sarah Kendrew

These were the ones that really hurt. Can you see your name in that lot, Laura? I reckon you’d sneak into the top ten, but there’s no place for you in the top five; those places are reserved for the kind of humiliations and heartbreaks that you’re just not capable of delivering. That probably sounds crueler than it is meant to, but the fact is that we’re too old to make each other miserable, and that’s a good thing, not a bad thing, so don’t take your failure to make the list personally. Those days are gone, and good fucking riddance to them; unhappiness really meant something back then. Now it’s just a drag, like a cold or having no money. If you really wanted to mess me up, you should have got to me earlier.

Esses foram os que doeram de verdade. Tá vendo seu nome aí no meio, Laura? Acho que, raspando, até entrava nos dez mais, mas entre os top five não tem lugar pra você; essa lista está reservada para aquele tipo de humilhação e desgosto que você simplesmente não é capaz de causar. Isso provavelmente soou mais cruel do que eu pretendia, mas o fato é que a gente já passou da idade em que é capaz de deixar o outro na pior, o que é uma coisa boa, e não uma coisa ruim, então não precisa levar pro lado pessoal o fato de não ter entrado na lista. Essa época já era e, porra, demorou; ser infeliz realmente significava alguma coisa antes. Agora é só uma aporrinhação, tipo um resfriado ou falta de dinheiro. Se você queria detonar comigo de verdade, devia ter aparecido antes na minha vida.

HORNBY, Nick. High Fidelity. Nova York: Riverhead Books, 1996. 352 p.

HORNBY, Nick. Alta Fidelidade. Tradução de: Christian Schwartz. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

Bibliografia

Traduções Publicadas

Ansari, Aziz; Klinenberg, Eric. Romance Moderno: Uma investigação sobre relacionamentos na era digital. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Paralela, 2016. (Modern Romance). Humor e Entretenimento.

Coe, Jonathan. A Chuva Antes de Cair. [Por: Christian Schwartz]. Rio de Janeiro: Record, 2009. (The Rain Before It Falls). Romance.

Coe, Jonathan. A Terrível Intimidade de Maxwell Sim. [Por: Christian Schwartz]. Rio de Janeiro: Record, 2012. (The Terrible Privacy of Maxwell Sim). Romance estrangeiro.

Coe, Jonathan. As Viagens de Gulliver. [Por: Christian Schwartz]. Rio de Janeiro: Galera Record, 2013. (The Story of Gulliver). Literatura.

Eugenides, Jeffrey. Middlesex. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Companhia das Letras, 2014. (Middlesex). Romance.

Fitzgerald, F. Scott. O Último Magnata. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Penguin, 2013. (The Last Tycoon). Romance.

Grylls, Bear. Voo Fantasma. [Por: Christian Schwartz & Liliana Negrello]. Rio de Janeiro: Record, 2016. (Ghost Flight). Romance de suspense.

Haig, Matt. Sociedades dos Pais Mortos. [Por: Christian Schwartz]. Rio de Janeiro: Record, 2011. (The Dead Fathers Club). Romance.

Haig, Matt. A Possessão do Sr. Cave. [Por: Christian Schwartz]. Rio de Janeiro: Record, 2012. (The Possession of Mr. Cave). Romance.

Hawthorne, Nathaniel. A Letra Escarlate. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Penguin, 2011. (The Scarlet Letter). Romance.

Hornby, Nick. Alta Fidelidade. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. (High Fidelity). Romance.

Hornby, Nick. Febre de Bola. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Companhia das Letras, 2013. (Fever Pitch). Biografia.

Hornby, Nick. Uma Longa Queda. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Companhia das Letras, 2014. (A Long Way Down). Romance.

Hornby, Nick. Funny Girl. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. (Funny Girl). Romance.

Koontz, Dean. Irmão Odd. [Por: Christian Schwartz]. Rio de Janeiro: Record, 2012. (Odd Brother). Romance de suspense.

Koontz, Dean. As Horas de Odd. [Por: Christian Schwartz & Liliana Negrello]. Rio de Janeiro: Record, 2013. (Odd Hours). Romance de suspense.

Koontz, Dean. Odd Para Sempre. [Por: Christian Schwartz]. Rio de Janeiro: Record, 2011. (Forever Odd). Romance de suspense.

Mengestu, Dinaw. Uma Perturbação no Ar. [Por: Christian Schwartz]. Curitiba: Nossa Cultura, 2012. (How to Read the Air). Romance .

Pullman, Philip. O Bom Jesus e o Infame Cristo. [Por: Sérgio Alcides & Christian Schwartz]. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. (The Good Man Jesus and the Scoundrel Christ). Romance.

Reed, Lou. Atravessar o Fogo - 310 letras de Lou Reed. [Por: Christian Schwartz & Caetano Waldrigues Galindo]. São Paulo: Companhia das Letras, 2010. (Pass Thru Fire - The Collected Lyrics). Artes e Fotografia - Música.

Rusell, Willy. Caro Morrissey. [Por: Christian Schwartz & Liliana Negrello]. Curitiba: Nossa Cultura, 2013. (The Wrong Boy). Romance.

Shapiro, James. Quem Escreveu Shakespeare. [Por: Christian Schwartz & Liliana Negrello]. Curitiba: Nossa Cultura, 2012. (Contested Will: Who Wrote Shakespeare). Teoria e Crítica Literária.

Shelley, Mary. Frankenstein ou o Prometeu Moderno. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Penguin, 2015. (Frankenstein: or, the Modern Prometheus). Romance de horror.

[A.V.]. As entrevistas da Paris Review - Vol. 1. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. (The Paris Review Interviews - Anthology 1). Comunicação - Jornalismo.

Walker, Karen Thompson. A Idades dos Milagres. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Paralela, 2012. (The Age of Miracles). Romance.

Xinran. Testemunhas da China: Vozes de uma geração silenciosa. [Por: Christian Schwartz]. São Paulo: Companhia das Letras, 2009. (China Witness). História.

Apresentação | Créditos | Contato | Admin

ISBN:   85-88464-07-1

Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Comunicação e Expressão

Apoio:

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Última atualização desta página

©2005-2022 - NUPLITT - Núcleo de Pesquisas em Literatura e Tradução

Site melhor visualizado em janelas com mais de 600px de largura disponível.